Ministro das Finanças diz que governador do Banco Central tem feito “um bom trabalho”

Cidade da Praia, 21 Mai (Inforpress) – O ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje na Cidade da Praia, que o governador do Banco de Cabo Verde (BCV), João Serra, tem feito “um bom trabalho” e que tem tido “as melhores relações” com o Governo.

Olavo Correia falava à imprensa momentos antes de participar de uma “conversa aberta” com os alunos do 12º ano da Escola Secundária Regina Silva sobre cidadania fiscal, nas instalações deste estabelecimento de ensino, em Achadinha, Cidade da Praia.

“O governador do Banco de Cabo Verde tem feito um bom trabalho. Temos tido melhores relações institucionais e eu penso que o Banco Central tem dado um contributo muito importante”, afirmou Olavo Correia, pontuando que João Serra tem um mandato que termina este ano.

Até lá, adiantou o também vice-primeiro-ministro, o Governo tem tempo para decidir.

“Estamos ainda a tempo de o fazer. Portanto, o que importa é trabalhar para Cabo Verde”, acrescentou Olavo Correia, frisando ainda um trabalho em parceria, “com muita força”, em que tanto o Governo, através do próprio ministro das Finanças, como também o Banco Central, por meio do seu governador, estão engajados para modernizar o sistema financeiro.

Um engajamento que tem também o propósito, de acordo com o ministro, de criar melhores condições de acesso ao financiamento por parte das micro, pequenas e médias empresas cabo-verdianas e permitir que os talentos cabo-verdianos empresariais, em todas as áreas e vida económica, assim como “toda a gente de Cabo Verde”, possa ter acesso ao financiamento e concretizar os seus projectos por forma a contribuir para a criação de empregos, geração de rendimentos e garantia a qualidade de vida para todos os cabo-verdianos, em todas as ilhas do arquipélago.

Questionado acerca de um nome para substituir João Serra, o ministro das Finanças disse achar que não vale a pena se apressar, até porque, referiu, ainda há tempo. “O que importa hoje é criar valor, é trabalhar para que os jovens tenham melhores oportunidades”, defendeu.

João Serra revelou, segunda-feira, que não vai continuar à frente do Banco de Cabo Verde e assegurou que até o final do mandato, que termina em Dezembro, vai assumir as suas responsabilidades na “plenitude”.

“Não vou continuar à frente do BVC, fui lá para fazer um mandato (…) de modo que estou de saída, mas, até lá, contínuo sendo governador, assumindo na plenitude as minhas responsabilidades e continuando a dar o meu contributo para a afirmação do banco central”, revelou João Serra, à saída de um encontro com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

João Serra garantiu, no entanto, que sempre teve uma “boa relação” com o Governo e com o ministro das Finanças, Olavo Correia, que foi seu “colega de universidade” e lembrou que desde início prometeu que seria somente para um mandato.

“Não há ainda nenhuma conversa, mas o que eu posso avançar é que estou lá para um mandado”, sublinhou, garantindo, que vai deixar o BCV “mais independente e a cumprir as suas atribuições”.

João Serra substituiu Carlos Burgo à frente do BCV, que terminou o mandato em Agosto de 2014, e foi empossado a 29 de Dezembro do mesmo ano.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos