M´balá Fernandes afirma que “tem havido progressão” na legalização dos guineenses em Cabo Verde (c/áudio)

Cidade da Praia, 05 (Inforpress) – O embaixador da Guiné Bissau em Cabo Verde disse hoje à imprensa, que tem havido um progresso a nível da documentação para legalizar os guineenses no país, reconhecendo que eles estão “bem integrados” apesar de algumas dificuldades.

M´balá Fernandes falava à imprensa após um encontro com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, no qual abordaram, entre outros assuntos, a situação da comunidade Bissau-guineense em Cabo Verde, da relação de cooperação entre os dois países, das eleições e pós-eleições na Guiné Bissau e também de uma provável visita de Jorge Carlos Fonseca àquele país, ainda sem data definida.

“O que nos preocupa é a questão da legalização como peça importante da integração, embora reconheçamos que tem havido uma progressão a nível da documentação. Não sei se será da nossa intervenção junto das autoridades, mas tem havido uma progressão do lado do (SEF) Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, do Ministério da Administração Interna (MAI) no sentido de conceder com rapidez os documentos dos guineenses aqui em Cabo Verde”, avançou M´balá Fernandes.

Apesar de não ter um número exacto tendo em conta as dificuldades dos seus conterrâneos em fazer o registo na Embaixada, o diplomata estima que de 60 % dos guineenses que vivem em Cabo Verde estão à espera da documentação de residência.

No entanto, avançou que está expectante que o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, exerça a sua magistratura de influência junto do Governo para acelerar este processo, apesar de adiantar que da reunião que manteve com o primeiro-ministro e o ministro da Administração Interna (MAI) “mostraram abertura” e que o processo já “está numa fase muito acelerada”.

De acordo com M´balá Fernandes a Embaixada estima que residem em Cabo Verde à volta de 6.400 guineenses.

CD /FP

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos