Mariano Salazar termina missão de cinco anos em Cabo Verde à frente da representação da OMS

Porto Novo, 25 Mai (Inforpress) – Mariano Salazar termina, a 31 de Maio, a sua missão em Cabo Verde, como representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), considerando que foi “um privilégio” trabalhar no arquipélago, ao longo dos últimos cinco anos.

Mariano Salazar, cujo término da missão coincide com o fim da carreira na OMS, foi, esta sexta-feira, homenageado, em Santo Antão, pela região sanitária desta ilha que, avançou, “vai ficar para sempre” no seu “coração”.

O ainda representante da OMS em Cabo Verde, considerado o “padrinho” da Região Sanitária de Santo Antão (RSSA), foi um dos entusiastas do projecto de criação, em 2015, desta região, a qual apoiou a todos os níveis, nesses quatro anos de funcionamento.

A directora da RSSA, Ângela Gomes, enalteceu a “colaboração” que Mariano Salazar sempre deu ao sector de saúde em Santo Antão, adiantando que este responsável fica “na lembrança” como sendo o “padrinho eterno” da região sanitária.

A criação da RSSA teve como propósito uma maior articulação dos serviços de saúde na ilha e uma melhor optimização dos recursos existentes nos concelhos do Porto Novo, Paul e Ribeira Grande.

JM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos