Maio: Frequentes rupturas de stock de ração deixam criadores de gado “descontentes” e sem alternativas

Porto Inglês, 28 Ago (Inforpress) – As frequentes rupturas de stock de ração no mercado local têm levado ao “descontentamento” dos criadores de gado na ilha do Maio, que dizem estar a passar por “grandes constrangimentos” para alimentarem os seus animais.

Angustiados com esta situação, que vem repetindo frequentemente nos últimos meses, os criadores de gado procuraram a Inforpress, para manifestarem os seus desagrados.

Em nome dos colegas, Maria Luísa Andrade Monteiro, residente na localidade de Morrinho, afirmou que a situação está a tornar-se cada vez mais “insuportável”, uma vez que a quantidade de ração enviada para a ilha tem sido irrisória.

Segundo avançou aquela criadora, nas últimas semanas tem sido “impossível” conseguir pelo menos um saco de ração, ou mesmo de milho, pelo que considerou estarem a passar por “momentos de aflição”.

Angustiada, Maria Luísa Andrade Monteiro alertou que, devido a falta de alimentação, os animais não querem beber, “nem se quer estão com força de regressar ao campo”, porque, explicou, estão todos famintos e fracos e os criadores já não sabem o que fazer.

Segundo a criadora, neste momento muitos colegas estão com as suas vacas a reproduzirem, mas estas nem se quer conseguem produzir o leite suficiente para, pelo menos, amamentarem as suas crias, lembrando que no seu caso ela tem duas vacas nesta situação e para alimenta-las tem recorrido à farinha de milho.

“Este é um dos momentos mais difíceis para os criadores, porque não existe pasto no campo, e mesma que chova, não vamos ter pasto suficiente em menos de que um mês, para os animais se alimentarem adequadamente. Por isso entendemos que algo deve ser feito, o quanto antes, para conseguirmos safar e vencer”, enfatizou, lembrando que não tem sido uma tarefa nada fácil até este momento.

Esta situação está sendo vivida um pouco por toda a ilha, razão pela qual levou também o deputado nacional do PAICV eleito pelo círculo eleitoral do Maio Fernando Frederico, a manifestar, igualmente, a sua preocupação, alertando o Governo a encontrar uma solução urgente para resolver este problema.

“A situação é mesmo complicada , temos uma ilha sem ração, sem milho e a cada dia temos vindo a assistir animais a morrerem e se nada for feito podemos vir a não ter mais animais nos próximos tempos”, advertiu.

Fernando Frederico vai mais longe, dizendo que, devido à seca que assola o país, há dois anos, a situação na ilha do Maio é ainda mais “preocupante”,visto que está a afectar não só os criadores como também os agricultores.

O parlamentar salientou que até então não se tem visto uma politica clara para minimizar esta situação, tanto por parte das autoridades local como central.

“Aliás, o que temos vindo a assistir aqui no Maio é, praticamente, uma confusão de papéis, em que a Delegação do MAA não tem tido poder para agir, e tudo está sendo passado para a Câmara Municipal, que por seu lado, está a aproveitar esta situação para fins eleitoralista”, denunciou.

WN/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos