Maio: Agricultor e criador de gado satisfeito com conhecimentos adquiridos sobre a produção de forragem

Porto Inglês, 23 Nov (Inforpress) – O agricultor e criador de gado Ineuse Ribeiro expressou hoje o seu entusiasmo por ter participado na formação de produção de forragem para alimentação animal.

Em declarações à Inforpress, a mesma fonte assegurou que participou em várias formações, inclusive sobre a criação de gado em estábulo, na ilha do Fogo, mas que nunca teve oportunidade de conhecer esta técnica.

Conforme avançou aquele agricultor, com a produção de foragem é possível fazer a criação de caprino em estábulo “sem nenhum problema”, aliás, frisou, torna essa prática “mais rentável e menos cansativa” para quem se dedica à criação.

A formação foi promovida pelo projecto Maio 20/25 e executado pela Associação para Desenvolvimento de Mértola, em parceria com a FMB, bem como IMVF, Delegação do Ministério de Agricultura e Ambiente liderado pela Câmara Municipal do Maio e financiado pela União Europeia e, segundo Ineuse Ribeiro, veio “em boa hora”.

O campo de produção forrageiro que foi instalado no perímetro agrícola de Tambarina, na localidade de Figueira, criado para a formação dos criadores de gado numa área de mil metros quadrados irrigados pelo sistema gota-a-gota pode alimentar até 35 cabeças de cabra.

Na próxima semana vai estar na ilha um técnico para instalar o campo de produção nas parcelas dos criadores beneficiados no quadro deste programa.

Por esta razão, Ineuse Ribeiro manifestou “satisfação e ansiedade” para ver instalada aquela técnica na sua parcela, de modo a iniciar a alimentação dos seus animais e sentir o “real impacto” da mesma.

Por seu lado, a representante do programa Maio 20/25, Leonor Melo frisou que criaram o campo-modelo na ribeira de Tambarina com diversas forrageiras nutricionais para o caprino para proporcionar aos criadores uma forma de alimentarem as suas crias de uma maneira “mais rentável”.

Aquele responsável disse estar confiante de que esta técnica vai ser replicada por outros criadores que não tiveram a possibilidade de participarem na referida formação, informando que os formandos vão ser receber “brevemente” a instalação nas suas propriedades.

Acrescentou que o programa almeja que os criadores venham a ter mais rendimento com menos animais, o que não lhes complica a capacidade de alimentarem os mesmos durante o ano inteiro.

Numa ilha que se pretende que venha a ser turística, Leonor Melo frisou que a criação de gado é uma actividade com “muito potencial”, mas que precisa ser melhorada para alcançar a nova geração.

WN/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos