Ilha do Sal: “Os lobos não podem esperar” é uma obra de uma “dimensão muito profunda” – apresentador

Espargos, 25 Nov (Inforpress) – O apresentador de “Os lobos não podem esperar”, da escritora cabo-verdiana Natacha Magalhães, considerou tratar-se de uma obra literária “extremamente importante” e de uma dimensão “muito profunda”, durante apresentação que teve lugar esta sexta-feira, no Sal.

Convidado para fazer a exposição desta mais recente obra de Natacha Magalhães, a primeira dirigida ao público adulto e uma coletânea de 20 contos que aborda a problemática da mulher nos seus diversos aspectos no meio cabo-verdiano, Júlio Rendall disse que as temáticas conduzem para um ambiente humano “extremamente complexo, difícil, cruel e muitas vezes egoísta e ingrato”.

“Principalmente da mulher para a mulher. As temáticas do livro são apaixonantes, muito desafiantes. É um livro muito complexo, com 20 histórias complexas que nos ajudam a compreender um pouco sobre esta sociedade em que vivemos”, disse, destacando alguns contos, designadamente, “A viúva do mar”, “O batom vermelho”, “O amante defunto”, entre outros títulos.

Prosseguiu, referindo ainda que a Natacha Magalhães encontra tempo para dedicar uma narrativa ao poeta Corsino Fortes, com o conto intitulado “Um encontro com o poeta”, onde ela traz ao conhecimento dos leitores várias facetas deste homem de letras.

A obra de 142 páginas, compõe ainda um conjunto de textos que aborda temas da sociedade cabo-verdiana, como a violência de género, o abuso sexual de menores, a pedofilia, a repressão social e sexual, a depressão e a solidão, insegurança/criminalidade e afectos.

Júlio Rendall estimula as pessoas a lerem o livro de “fácil leitura”, conforme disse, que pode ser lido de trás para frente ou de frente para trás.

“Um livro que nos entusiasma, apaixona e nos desafia à sua leitura. Que pode ser estudado, dado a conhecer em vários sítios e momentos, inclusive nas escolas. É um livro que deve fazer parte da nossa biblioteca. E, nesta época de festa será um bom presente para oferecer aos nossos amigos”, enfatizou.

Esta é a quarta apresentação que Natacha Magalhães faz do livro a que deu nome “Os lobos não podem esperar” depois da Praia, Assomada, Lisboa e agora Sal.

Residente na cidade da Praia, Natacha Magalhães iniciou o seu percurso literário em 2010, na escrita infanto juvenil, tendo publicado as colectâneas “Mãe, conta-me uma história”, “Sete Contos ao luar e outras estórias” e “A Viagem mais fantástica do mundo”.

Também os livros “O segredo partilhado” e “O coração das ilhas”, a pedido do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) e da CVTelecom, respectivamente.

Integrou as antologias “Contar histórias com a avó ao colo” (CPLP), “Ser Mulher” (Portugal), “Mulherio de Letras” (Portugal) e “Mulher e Seus Destinos” (Cabo Verde).

A sua paixão pela escrita e por incutir o gosto pela leitura levou-a a criar o projeto “Mala de Contos” – Promoção da leitura.

Já representou Cabo Verde em festivais de literatura e narração e nos festivais literários de Cabo Verde, respetivamente, Morabeza – festa do livro e Literatura Mundo.

A obra “Os lobos não podem esperar” marca a sua estreia na literatura destinada ao público adulto.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos