Ilha do Sal: Autarca desassossegado com atraso do processo para distinção da praia de Santa Maria com Bandeira Azul

Santa Maria, 22 Mai (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Sal manifestou-se hoje desassossegado com o atraso do processo para distinção da praia de Santa Maria com Bandeira Azul, considerando que se está a “desrespeitar” a importância daquela praia turística.

Júlio Lopes fez este desabafo no acto de abertura do 1º workshop nacional de apresentação do Projecto Bandeira Azul Cabo Verde, realizado pela Associação para a Defesa do Meio Ambiente – Biosfera 1, visando a constituição do júri para avaliação da praia de Santa Maria, sítio-piloto de implementação do programa.

“Temos que dizer que estamos muito atrasados. Não estamos a respeitar a importância desta praia de Santa Maria. O nosso clima, as nossas praias, a praia de Santa Maria… são o petróleo de Cabo Verde”, precisou, acautelando que os atractivos naturais é que “estão a potenciar”, o desenvolvimento de Cabo Verde.

“São os elementos importantes de toda a vantagem comparativa para um destino turístico como Cabo Verde que está em franco crescimento. Por conseguinte, um atractivo, que é um recurso importante, deve ser cuidado, trabalhado para cada vez mais dar o seu contributo para o desenvolvimento do nosso país”, ponderou.

Nessa linha de pensamento, o autarca disse que a situação actual não é boa”, e parabeniza a Biosfera 1 pela realização do evento que vai conduzir à constituição do júri nacional para avaliação da praia de Santa Maria, sítio-piloto de implementação do programa.

“A situação actual não é boa. Já perdemos muito tempo, mas mais vale tarde do que nunca. É uma certificação importante, e este workshop vai assinalar agora o arranque mais organizado de todo o processo para a Bandeira Azul das praias de Cabo Verde, designadamente a praia de Santa Maria”, exteriorizou, observando, entretanto, que Bandeira Azul não tem só a ver com a praia, porém toda a sua envolvente.

A Bandeira Azul (BA) é uma distinção atribuída anualmente pela Fundação para a Educação Ambiental a praias (marítimas e fluviais) e marinas que cumpram um conjunto de requisitos de qualidade ambiental, segurança, bem-estar, infra-estruturas de apoio, informação aos utentes e sensibilização ambiental.

As praias e marinas distinguidas ficam autorizadas a ostentar a bandeira oferecida pela FEE durante a época balnear.

SC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos