Ilha Brava em situação de contingência e alerta durante quatro meses

Cidade da Praia, 22 Nov (Inforpress) – O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, disse hoje que devido ao nível de alerta de escala três foi declarada situação de contingência e alerta para a ilha Brava por um período de quatro meses prorrogáveis.

Paulo Rocha, que falava à imprensa após reunir-se com o Serviço de Proteção Civil e Bombeiros, no Centro Nacional de Operações e Emergência dos Serviços Nacional da Proteção Civil e Bombeiros, em Achada Grande (Praia), anunciou ainda uma visita à ilha Brava na próxima semana.

“Hoje, estivemos a discutir as medidas para os próximos dias, que passarão pela convocação do Conselho Nacional da Proteção Civil que integra várias outras entidades para definirmos ainda mais o sistema de coordenação e de preparação para resposta”, acrescentou, lembrando que estar prevenido e cauteloso é sempre bom, mas sublinhou que “não há razões para preocupações de maior”.

Explicou na sua comunicação que o Instituto Nacional de Metrologia Geofísica (ING) tem afirmado não haver motivo para alarme e que são reduzidas, neste momento, as hipóteses de uma erupção vulcânica.

O governante apontou ainda a necessidade de se acautelar pelo facto do nível de alerta ser três numa escala de um a cinco, destacando a importância do Serviço da Proteção Civil e Bombeiros agir sempre na prevenção e a título de cautela.

Face a este acautelamento, Paulo Rocha avançou que o Serviço Nacional da Proteção Civil e Bombeiros tem estado presente desde o dia 31 de Outubro na ilha das Flores, com realizações de relatórios e acções de sensibilização e informações à população.

“O SNPCB tem estado presente com a realização de acções de informação e de sensibilização, juntamente com as autoridades locais e comunidades. Visitou várias localidades, nomeadamente as mais sensíveis e consideradas de maior risco, tendo feito um levantamento de todos os edifícios que sofreram impactos com o tremor de dia 20”, disse, sublinhando que cerca de 20 edifícios sofreram com níveis de gravidade diferentes.

No âmbito das ações realizadas na ilha, referiu-se sobre as de sensibilização e informação a decorrer nas escolas, com as entidades religiosas, nos jardins de infância, visando passar a tranquilidade necessária e explicando as pessoas sobre a realidade de momento, sem nunca causar pânico, mas garantindo que as pessoas estejam alertas para a tomada de eventuais medidas, caso forem necessárias.

Para além destas, mencionou a existência de um plano de contingência e de evacuação para ilha Brava, elaborado em 2016, na sequência da crise sísmica registada na época.
O plano, que afirma estar atualizado, prevê, segundo o ministro da Administração Interna, um conjunto de acções para situações de género, acções que, lembrou, estão a ser implementadas neste momento.

Neste momento, confirmou a activação de todo o sistema nacional de proteção civil através de uma decisão do Conselho de Ministros, devido à situação de continência declarada para a ilha Brava.

Para a próxima semana, está prevista a reunião do Conselho da Proteção Civil visando acções de prontidão para acompanhar a declaração de contingência e alerta caso for necessário.

PC/JMV
Inforpress/Fim

 

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos