III edição do “Djarfogo International Film Festival” realiza-se em Novembro abarcando 125 filmes de 82 países

Cidade da Praia, 27 Out. (Inforpress) – A terceira edição do “Djarfogo International Film Festival” (DIFF) realiza-se de 06 a 12 de Novembro na Cidade da Praia e na ilha do Fogo, envolvendo 125 filmes de 82 países, num orçamento de 280 mil dólares.

Com sete películas exclusivas de cineastas cabo-verdianos, residentes e na diáspora, o ( DIFF), organização do “ Txan Film Production & Visual “ segundo adiantou hoje à imprensa o cineasta e membro fundador, Genny Pires, vai ser um “evento histórico”, projectado para a promoção do cinema de África, Cabo Verde e da sua diáspora.

“Pretendemos que Cabo Verde, principalmente cineastas locais, tirem o maior proveito deste festival. Neste ano o festival conta com três filmes de curta e longa metragem, candidatos aos prêmios Óscar 2024. Para nós é um grande orgulho, para Cabo Verde, mas também para a direção do Festival”, revelou o conferencista que garantiu a presença de 35 cineastas internacionais no evento.

A edição de 2023 do “Djarfogo International Film Festival” começa a ser rodada na capital do país, palco do festival nos dias 06 e 07, oportunidade para a organização homenagear a poeta e cineasta francesa do movimento da negritude, Sarah Maldoror, referenciada como uma das primeiras mulheres a dirigir uma longa-metragem num país africano.

A Cidade da Praia, ainda de acordo com este cineasta, vai albergar o “I Cabo Verde International Film Market”. Dos 125 filmes inscritos neste festival, uma equipa de júri internacional do festival, avançou, vai seleccionar as 25 películas candidatas a prémios, para além de algumas menções honrosas com as quais serão homenageados alguns projectos, visando a valorização dos trabalhos locais.

A Universidade de Cabo Verde, palco da abertura do Festival, adiantou Pires, vai albergar uma sessão de “Master Class” com cineastas convidados e estudantes desta universidade pública, sendo que as restantes sessões se realizam no emblemático cinema da Praia.

Já na ilha do Fogo, o festival realiza-se de 08 a 12, vai percorrer os três municípios, São Filipe, Mosteiros e Santa Catarina e vai dedicar uma atenção particular a estudantes, sendo que além da réplica de todas as actividades projectadas para Cidade da Praia, estão programadas visitas a todos os estabelecimentos do ensino secundário, e vistas a localidade de Chã de Caldeiras, no sopé do vulcão.

Genny Pires disse que apesar dos seus três anos de nascimento, o DIFF já vem ganhando dimensão internacional, em benefício deste arquipelágico.

Avançou que a edição deste ano vai contar com novos prémios já oficializados, como o de Amílcar Cabral e Sarah Maldoror, direccionados aos artistas no mundo do cinema.

Fundado com o objectivo de promover cinemas em África e em Cabo Verde, o projecto “Djarfogo International Film Festival”, de acordo com o seu mentor, já conta com a parceria de outros países da África como a Guiné Bissau e Marrocos.

SR/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos