Idai: Associação cabo-verdiana de Lisboa manifesta solidariedade para com Moçambique

Lisboa, 27 Mar (Inforpress) – A Associação Cabo-verdiana de Lisboa (ACV) mostrou-se hoje solidária com Moçambique por causa da passagem do ciclone Idai, que provocou mais de 460 mortos e 1.522 feridos já contabilizados pelas autoridades moçambicanas.

Segundo uma publicação daquela associação efectuada na sua página da rede social Facebook, será atribuída parte das receitas das actividades lucrativas à reconstrução daquele país de língua oficial portuguesa.

Recorde-se que, segundo informou o primeiro-ministro, Ulisses Correia, Cabo Verde vai ajudar Moçambique com uma verba que poderá atingir os 200 mil dólares e está a analisar a possibilidade de enviar uma equipa para ajudar as populações afectadas pelo ciclone Idai.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, no Zimbabué e no Maláui fez pelo menos 786 mortos e afectou 2,9 milhões de pessoas nos três países, segundo dados das agências das Nações Unidas.

Moçambique foi o país mais afectado, com 468 mortos e 1.522 feridos já contabilizados pelas autoridades moçambicanas, que dão ainda conta de mais de 127 mil pessoas a viverem em 154 centros de acolhimento, sobretudo na região da Beira, a mais atingida.

As autoridades moçambicanas adiantaram que o ciclone afectou cerca de 800 mil pessoas no país, mas as Nações Unidas estimam que 1,8 milhões precisam de assistência humanitária urgente.

As autoridades de saúde anunciaram hoje que estão confirmados cinco casos de cólera na cidade da Beira, uma das doenças cuja proliferação é mais receada após o ciclone Idai.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos