ICIEG e parceiros apelam a participação massiva dos alunos na segunda edição do concurso nacional de contos “Igualdade de género”

Assomada, 26 Set (Inforpress) – O Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Genéro (ICIEG) e parceiros apelaram hoje em Assomada a participação massiva dos alunos de todas as escolas do país na segunda edição do concurso nacional de contos “Igualdade de género”.

A presidente do ICIEG, Rosana Almeida, a embaixadora da União Europeia, Sofia Costa, e a directora de marketing da Unitel Tmais, Élcia Paim, lançaram este repto hoje em Assomada, Santa Catarina, no acto do lançamento do concurso, que teve como palco o auditório da Escola Técnica Grão-Duque Henri (ETGDH).

“Igualdade de género é uma questão vai mover a todos nós em Cabo Verde daqui para frente”, declarou Rosana Almeida, que acredita que estes estudantes serão “fundamentais” na sensibilização sobre a questão do género nas suas diversas dimensões.

A ICIEG, conforme explicou, quer descentralizar esta iniciativa, por isso trouxe-a para o interior de Santiago depois das ilhas do Maio e São Vicente, o que, no seu entender, significa que a instituição e os parceiros querem que a ETGDH sejam exemplo em termos da igualdade de género.

Por sua vez, a embaixadora da União Europeia em Cabo Verde, Sofia de Sousa, entidade que financiou a publicação dos três contos vencedores da primeira edição, destacou o papel do ICIEG na promoção da igualdade do género a nível nacional, por isso, considerou esta iniciativa de “importante”.

A diplomata instou os estudantes a participarem neste concurso para que possam, também à semelhança da, Jennifer Rosa, primeira classificada da primeira edição do concurso, que se fez presente no acto, contarem as suas “historinhas” sobre a importância de defender os direitos das meninas e mulheres.

A representante da Unitel Tmais, empresa que patrocinou a duas edições do concurso, lembrou que os três contos vencedores já estão na plataforma do ‘site’ da empresa denominado “Nuvem de livros”, onde também pode-se aceder a acervo de literatura nacional e internacional.

Élcia Paim convidou os alunos a acederem a esta plataforma para que possam inspirar-se, tendo incentivado os alunos do interior a escreverem e a participarem no concurso.

O evento que serviu para fazer o lançamento dos três contos vencedores, contou com a presença da primeira classificada do concurso da ilha do Maio, Jennifer Rosa, que também incentivou os estudantes a participarem, tendo almejado que o vencedor da segunda edição saia do interior de Santiago.

A estudante, que vai estudar fora do país, avançou que não vai parar por aqui no mundo da escrita e que pretende lançar um livro de poesia em 2020.

Os participantes do concurso deverão enviar um conto em português, de autoria própria, com até cinco mil palavras (cerca de dez páginas), incluindo o título, pontuação e espaçamento.

Segundo o instituto, cada participante deverá enviar somente um conto, cujo tema aborda a questão do género nas suas diversas dimensões, entre elas, género e violência, paternidade e maternidade responsável, género e saúde, homens e igualdade de género, género e desenvolvimento, sexualidade e gravidez precoce.

As inscrições para o concurso abrem nesta quinta-feira, 26, e o prazo decorre até 23 de Dezembro 2019.

Estiveram ainda presentes no acto a primeira-dama, Lígia Fonseca, a presidente da Fundação Infância Feliz, Adélcia Pires, representantes do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente, delegação do Ministério da Educação, Associação de Apoio à Auto-Promoção da Mulher no Desenvolvimento (Morabi), entre outras entidades.

FM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos