Governo vai lançar linha de crédito de nove milhões de contos para estimular a economia na fase pós-covid-19

Cidade da Praia, 28 Set (Inforpress) – O Governo vai lançar uma linha de crédito de nove de milhões de contos, “com condições mais flexíveis”, para estimular a economia na fase de retoma pós-covid-19, anunciou hoje a secretária de Estado do Fomento Empresarial, Adalgisa Vaz.

A governante falava na abertura do ateliê sobre mecanismos de apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME), a decorrer hoje, na Cidade da Praia, com objectivo de desenvolver um estudo de viabilidade para traçar contornos do projecto de reforço da empregabilidade e inclusão de jovens.

Conforme dados apresentados durante o ateliê, as MPME constituem cerca de 98 por cento (%) das empresas formais e representam 40% dos empregos formais.  

E, com vista a reforçar o seu papel-chave na economia cabo-verdiana, o Governo e demais parceiros mandaram realizar um diagnóstico para avaliar e colmatar as falhas do mercado no apoio e financiamento das MPME.

As recomendações, segundo a secretária de Estado, vão no sentido de reforçar as medidas de acompanhamento em todas as fases e ciclo de negócios das MPME com instrumentos de apoio financeiros e não financeiros, incentivos fiscais, acesso a mercado e promoção do associativismo entre outros

“É assim que uma atenção particular será dada aos jovens empresários no âmbito da linha de crédito de nove milhões de contos a lançar pelo Governo, com condições mais flexíveis, para estimular a economia, nesta fase de retoma pós-covid-19, com destaque para o reforço da capacidade empresarial das MPME em actividades inovadoras que contribuam para sua integração e progressão nas cadeias de valor”, indicou.

Adalgisa Vaz salientou que, ciente do papel-chave que as MPME desempenham, o Governo tem estado a promover, incentivar e acompanhar “com interesse” todas as iniciativas para aprimorar a qualidade dos serviços de emprego e empregabilidade dos jovens.

Neste sentido, ainda com vista a melhoria do ecossistema de financiamento para os jovens empresários, indicou que o Ministério das Finanças e Fomento Empresarial está empenhado em “analisar profundamente a legislação e os regulamentos existentes” para “libertar o potencial” das MPME, simplificando os critérios de elegibilidade e de atribuição de incentivos, nomeadamente as condições de acesso ao capital de risco e ao crédito bancário.

A secretária de Estado para o Fomento Empresarial sublinhou ainda que o sucesso do fomento empresarial e em particular do apoio a jovens empresários requer o envolvimento de um vasto leque de actores públicos e privados, trabalhando em conjunto.

Entretanto, salientou que aos jovens empresários exige-se as quatro principais características de um empreendedor de sucesso, que são “a clareza, a credibilidade, a confiança e a consistência”.

“Ou seja, que tenham uma boa compreensão sobre o negócio, que participem na elaboração de um plano de negócios adequado, que se preocupem com a gestão financeira dos seus negócios e que façam crescer os seus negócios de forma sustentável”, realçou.

O projecto-piloto de reforço da empregabilidade e de inclusão de jovens resulta de um acordo assinado entre o Governo de Cabo Verde e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Visa por um lado contribuir para a melhoria da situação laboral dos jovens, através da melhor gestão de formação e apoio à integração profissional e por outro lado reduzir a taxa de desemprego a médio prazo.

MJB/AA

Inforpress/Fim 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos