Governo quer reforçar política com associações e escolas de formação desportiva na busca de “maior impacto” (c/áudio)

Cidade da Praia, 13 Set (Inforpress) – O Governo quer trabalhar lado-a-lado com as associações e escolas de formação desportiva, no âmbito do reforço da sua política já estabelecida, para permitir que o trabalho tenha “cada vez mais impacto” na capacitação dos dirigentes.

O ministro Adjunto do primeiro-ministro para a Juventude e Desporto manifestou esta convicção no final da manhã de hoje no seguimento da sua visita à sede da Associação Cultural e Desportiva Maracanã, em Ponta d’Água, onde foi conhecer o trabalho realizado nos domínios do desporto e da formação, bem como no ensino de línguas estrangeiras e música.

Carlos Monteiro realçou que o Governo tem vindo a apoiar as escolas de formação em todo o País com capacitação de dirigentes e em materiais desportivos, assim como estabeleceu um novo regime legal de apoio às escolas de formação desportiva, no sentido de se trabalhar num quadro de uma “maior transparência e previsibilidade” dos apoios financeiros e materiais desportivos.

“Queremos reforçar ainda mais a questão da formação porque sabemos que é um ‘handicap’ do nosso desporto, conseguir formar treinadores e monitores para os diversos escalões e, de uma vez por todas, percebemos se daqui a cinco, dez, 15 anos, podemos resolver este problema”, frisou Monteiro.

“Podermos dizer que conseguimos montar, executar, um plano de formação e monitores, formação de treinadores que nos garanta a sustentabilidade da qualidade da formação a longo prazo”, reforçou o governante.

Destacou, desta visita, o trabalho “meritório” que a Associação Maracanã tem vindo a fazer não só no domínio do desporto com vários escalões de formação nas modalidades do basquetebol e futebol, mas também naquilo que é “de grande importância” no domínio da recuperação de alguns jovens e no impacto social que têm na comunidade de Ponta d’Água e arredores.

Esta associação “tem no Governo sempre um parceiro”, afiançou Carlos Monteiro, elucidando que “Maracanã” tem actuado de forma transversal com o fito de “ajudar a garantir um futuro melhor” às crianças e jovens.

O presidente da Associação Cultural e Desportiva Maracanã, Estevão Silva, eleito em Junho para assumir a gestão desta organização, criada em 2014 “para colmatar algumas dificuldades a nível social”, disse que para além de apostar na escola de futebol a associação tem vindo a desenvolver trabalhos nos domínios da educação, social e cultural.

Referiu que a associação conta com o “apoio imprescindível” da Fundação Nhanha Ribeiro, nos EUA, para o aluguer da sede social, que tem contribuído para dar “mais credibilidade” à associação, que conta actualmente com mais de 190 alunos inscritos nas diferentes áreas educacionais e desportivas.

Disse esperar que do Governo e a associação consigam reforçar o seu campo de acção nos projectos que tem vindo a idealizar junto da comunidade.

SR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos