Governo continua investigação para eliminar os mil-pés ou reduzir “efeitos nefastos” desta praga em Santo Antão – Amadeu Cruz (c/áudio)

Porto Novo, 15 Jun (Inforpress) – O Governo de Cabo Verde vai continuar a apostar na investigação para eliminar ou, pelo menos, reduzir “os efeitos nefastos” dos mil-pés (illacme plenipes) e de outras pragas que afligem a agricultura em Santo Antão.

A garantia é do secretário de Estado da Educação, Amadeu Cruz, responsável pela área de ciência e ensino superior, que acredita que a ciência, através da investigação, tem “um papel importante” para provocar “uma verdadeira mudança” no modelo do desenvolvimento da agricultura, que se pretende para Santo Antão.

Amadeu Cruz, que falava, sexta-feira, na abertura da décima quinta edição da feira agro-pecuária de Santo Antão (Fepasa), que decorre até domingo, na cidade do Porto Novo, no âmbito das festividades de São João, avançou que as os agricultores e as autoridades locais, nesse aspecto, “podem contar com o empenho do Governo”.

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) havia prometido, no quadro da cooperação chinesa, retomar, ainda em 2019, as investigações por forma a encontrar vias de combater os mil-pés, que, desde os anos 70, grassa em Santo Antão, atacando, sobretudo, os tubérculos (batatas e outros).

Por causa desta praga daninha, proveniente da Europa, esta ilha tem estado, desde 1984, sujeito a medidas de quarentena, que impedem o escoamento dos produtos agrícolas de Santo Antão para as outras ilhas agrícolas do arquipélago.

Para o secretário de Estado da Educação, é preciso, também, trabalhar na investigação em outras áreas, como água e energias renováveis “para a consolidação dos ganhos já conseguidos”, com vista a se conseguir maior deficiência nesses dois sectores.

Amadeu Cruz prometeu, ainda, desenvolver esforços para que Santo Antão tenha o ensino superior, a partir do próximo ano lectivo, possibilitando aos jovens santantonenses obterem cursos superiores na sua própria ilha, sobretudo nas ciências agrárias.

Em Maio, a equipa, que está a trabalhar nesse processo, chefiada pelo director do gabinete o ensino superior do Ministério da Educação, Aquilino Varela, esteve nesta ilha para apresentar os resultados do trabalho já realizado, que levará, a partir de Setembro, à instalação do Instituto Superior de Ciências e Tecnologias Agrárias em Santo Antão.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos