Governo avança com medidas de atenuação dos resultados do ano agrícola

Cidade da Praia, 08 Out (Inforpress) – O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, a resolução que aprova as medidas de atenuação dos resultados do ano agrícola 2021/2022 e o respectivo orçamento no valor de 170 milhões de escudos.

Em conferência de imprensa, o porta-voz da reunião ministerial, Abraão Vicente, começou por explicar que a situação da campanha agrícola referente ao ano 2021/2022 até a presente data é caracterizada por uma estação de chuvas deficitária e de distribuição bastante irregular em todo o arquipélago.

Uma situação que, segundo o governante, reflecte negativamente e de forma muito diferenciada, na produção agropecuária que foi má nas zonas mais áridas do país, deficitária nos estrados semiáridos e normal e excelente nos estrados sub-húmidos e húmidos.

“Para a atenuação dos resultados da campanha agrícola 2021/22, em conjugação com a estratégia de resiliência do sector agrário e associadas integradas, com as intervenções de outros programas e projectos que concorrem para o mesmo fim, ou fim complementar (…) o Governo promove a implementação de medidas que contribuem para a manutenção da capacidade produtiva da pecuária, mormente através do fabrico, do reforço e comercialização dos alimentos para o gado e a optimização do efectivo dominante”, avançou.

Dentro das medidas anunciadas por Abraão Vicente está a criação de empregos nos municípios mais afectados, sobretudo através da realização de obras públicas, duradouras, e com impacto “muito positivo” na qualidade do ambiente e do bem-estar dos cidadãos.

“Essas intervenções são realizadas de forma diferenciada nos concelhos em função da situação resultante da avaliação final da campanha agrícola 2021/22”, frisou.

As medidas atinentes a manutenção da capacidade produtiva da pecuária serão realizadas, segundo o porta-voz do Conselho de Ministros, através do Ministério da Agricultura e Ambiente e, no que tange a criação de empregos para as famílias afectadas, as obras para o efeito serão definidas e executadas sob a responsabilidade dos municípios, mediante procedimentos administrativos habituais de desembolso e de prestação de contas “evitando burocracias suplementares desnecessárias”.

O orçamento para a execução destas medidas está fixado, segundo Abraão Vicente, no valor de 170 milhões de escudos, “sujeito a alteração após a avaliação final dos resultados da campanha agrícola 2021/22”.

GSF/CP

Inforpress/Fim 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos