Governo acredita que aposta na diversificação e promoção vai levar turismo a todas as ilhas (c/áudio)

Tarrafal, 27 Set (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes disse hoje acreditar que a aposta na diversificação e na promoção vai levar o turismo a todas as ilhas do País, com foco no turismo de natureza, uma potencialidade comum de todas.

Carlos Santos, que falava em declarações à imprensa, à margem da ‘conversa aberta’ subordinada ao tema “Políticas públicas e cooperação internacional para o turismo”, adiantou que tal ambição do Governo consta no Plano Operacional do Turismo a ser materializado nos próximos cinco anos.

O evento foi promovido pelo Governo, através do Ministério do Turismo e Transportes, em parceria com a Câmara Municipal do Tarrafal e o Instituto do Turismo de Cabo Verde, no âmbito do Dia Internacional do Turismo, que se assinala hoje, sob o lema “Turismo para o Crescimento Inclusivo”, cujo acto central teve como palco o município do Tarrafal, na ilha de Santiago.

Conforme explicou, a ambição do Governo de levar o turismo a todas as ilhas passa pela requalificação da oferta em todas as ilhas, infra-estruturação, requalificação dos espaços urbanos e caminhos vicinais.

“(…) Com o Programa Operacional do Turismo queremos dar prioridade ao turismo de natureza, porque entendemos ser um dos nichos que temos sobejas e bastantes potencialidades em todo o País, e é essa a nossa visão e ambição e queremos concretizá-lo nos próximos cinco anos”, vaticinou.

“O Programa Operacional do Turismo visa requalificar a nossa oferta, olhar para aquilo que é a promoção, mas também uma matéria que para nós é muito cara para as ilhas, que é a sustentabilidade. Podemos continuar a crescer, mas não queremos fazer esse crescimento de uma forma desordenada, e temos que preservar o nosso património ambiental e cultural (…)”, concretizou o governante.

Para o ministro, por Cabo Verde ser um “pequeno destino” e por questão de economia de escala não vai competir no sector do turismo pelo preço, mas sim com a sua música e cultura para que possa cada vez mais vender e apresentar tais produtos diferenciados.

Carlos Santos entende que o País tem também que olhar para um turismo resiliente, no sentido de “lincar” outros sectores de actividades, como por exemplo a agricultura com o turismo.

Na ocasião, o governante aproveitou para enviar uma mensagem de “esperança” a todos os colaboradores, o sector privado, as ong e todos que directa ou indirectamente colaboram com o sector do turismo, que considerou “importante” pelo seu impacto na economia cabo-verdiana.

Sobre o município anfitrião, Carlos Santos destacou a diversidade paisagística, cultural e ambiental muito de singular.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José dos Reis, reiterou que o município que dirige é de e com futuro, por possuir uma “extraordinária” beleza paisagística, que integra as suas baías e orlas marítima, as serras e imponentes montanhas.

A par disso, lembrou ainda que Tarrafal possui um dos maiores patrimónios histórico e cultural de Cabo Verde e dos países de expressão portuguesa, o Campo de Concentração de Chão Bom.

Tais “características únicas”, que segundo o autarca constituem, sem dúvidas, “passos importantes e determinantes” em direcção ao futuro se forem combinados com os diversos investimentos e actividades turísticas, e reforçadas de medidas, políticas e incentivos nacionais de promoção do sector.

Além da conversa aberta sobre questões relacionadas com “Políticas públicas e cooperação internacional para o turismo”, inclui-se ainda a apresentação de temas sobre caracterização das potencialidades turísticas da ilha de Santiago (‘master plan’) e a proposta relativa ao Plano Operacional do Turismo.

Paralelamente ao evento, foi assinado um protocolo entre o Instituto do Turismo de Cabo Verde (ITCV), a Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS) e o Instituto de Gestão da Qualidade e da Propriedade Intelectual (IGQPI), com um apelo sobre a importância que o sector representa a nível internacional bem como o seu contributo para o presente e o futuro da economia dos países.

O momento foi também aproveitado para se proceder a entrega de certificados de formação aos formandos das agências de viagens.

FM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos