Formação sobre avaliação de necessidades pós-desastres direcciona foco para risco da seca (c/áudio)

Cidade da Praia, 19 Mar (Inforpress) – O presidente do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), Renaldo Rodrigues, avançou hoje que o risco da seca constitui o ponto focal da formação sobre avaliação de necessidades pós-desastres, que acontece na Cidade da Praia.

Renaldo Rodrigues revelou a informação à Inforpress, à margem da formação em avaliação de necessidades pós-desastres que teve início segunda-feira, 18, e que decorre o até quarta-feira, 20, no âmbito do projecto “Capacitação para a recuperação resiliente – fase II”.

“É uma formação que já vinha sendo realizado algumas acções de formação do género, só que desta vez resolvemos dar prioridade ao risco da seca, que o país vem sofrendo nos últimos dois anos”, contou.

Conforme o responsável, participam técnicos da Direcção Nacional do Ambiente, Direcção dos Serviços de Silvicultura e Pecuária e Agência Nacional de Água e Saneamento, como também de outros municípios com actividades de agricultura mais intensa.

O objectivo passa pela capacitação dos técnicos, no sentido de terem contacto com a metodologia, saber como é que se faz a avaliação, os que dados que devem ser considerados, para que se possa ter uma padronização no levantamento desses mesmo dados.

“É bastante importante e pertinente sobretudo porque a seca tem sido o risco mais presente nas ilhas, com um período de chuvas que é relativamente curto”, apontou, sublinhando que a formação permitirá lançar as bases sobre um trabalho “mais planificado”, tendo em conta as melhores práticas internacionais neste campo.

Na agenda de trabalhos constam temas como impacto humano no contexto de secas, desastres e intervenções de recuperação em Cabo Verde e o processo de gestão em risco, numa perspectiva de resposta de emergência à recuperação resiliente.

A formação é uma iniciativa da SNPCB em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a cooperação Luxemburguesa, que almejam reforçar as capacidades dos técnicos e parceiros das instituições públicas nacionais em metodologias de gestão de riscos de desastres.

O evento conta com cerca de 30 participantes das instituições públicas central e local, membros activos de organizações que participam nas acções de redução de risco de desastres, recuperação ou colaboram com os serviços de protecção civil nestes processos.

HR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos