Fogo: Projecto “Agenda comum de género – Mulheres Líderes para Agenda 2030” apresentada quinta-feira nos Mosteiros

São Filipe, 07 Ago (Inforpress) – O Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos 20/30 em Cabo Verde fará quinta-feira, 08, nos Mosteiros, a apresentação oficial do projecto “Agenda comum de género – Mulheres Líderes para a Agenda 2030”.

A apresentação vai ser presidida pela ministra da Educação e Inclusão Social, Maritza Rosabal, em acto que decorrerá no edifício do Paços do Concelho dos Mosteiros.

O Programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objetivos 2030 em Cabo Verde é gerido pela Unidade de Desenvolvimento Local (UDL) do Ministério das Finanças e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e financiado pelo Grão-Ducado do Luxemburgo.

O programa representa a vontade dos Governos de Cabo Verde e do Grão-Ducado do Luxemburgo em colocar esforços que permitam melhorar a coordenação e gestão dos processos de desenvolvimento local e a planificação estratégica.

Daí a razão do trabalho em medidas que preconizam a promoção da igualdade de género, através dos próprios Planos Estratégicos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS), ou dos projectos de impacto, que tem tido a preocupação de integrar a abordagem de género.

Assim, em concertação com os parceiros nacionais e municipais, propõem a realização do projecto de “Agenda comum de género – Mulheres Líderes para a agenda 2030”, um instrumento que pretende dar visibilidade às preocupações com a sub-representação das mulheres na política e nos diferentes níveis de tomada de decisão, e na vida pública em geral.

Este instrumento, de acordo com uma nota de imprensa, permite estabelecer uma plataforma de advocacia que vai integrar um conjunto de demandas que chamem a atenção para a realização de acções que permitam uma maior participação das mulheres nos processos de tomada de decisão.

Os municípios da ilha do Fogo, tendo respondido “de forma positiva”, lê-se no documento, à chamada da promoção da igualdade de género em todas as suas esferas, mostram-se como “espaços privilegiados” para a implementação desta agenda, que tem como parceiros, o Instituto Cabo-verdiano de Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), Rede de Mulheres Parlamentares e ONU Mulheres.

JR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos