Fogo: Comissão Especializada do Parlamento destaca “boa dinâmica” económica apesar de constrangimentos

São Filipe, 21 Mar (Inforpress) – A quarta Comissão Especializada Permanente da Assembleia Nacional, que termina hoje uma visita de quatro dias à ilha do Fogo, considera que existe uma “boa dinâmica” de investimento e de actividade económica, apesar dos desafios e constrangimentos existentes.

O vice-presidente desta Comissão com responsabilidade em matérias de relações externas, cooperação e comunidade, Emanuel Barbosa, ao fazer o balanço, disse que a missão foi positiva e permitiu uma “radiografia actualizada da situação da ilha” e que além de boa dinâmica de investimento e da actividade económica, destaca ainda a questão da paz social.

Segundo o porta-voz, as informações do Comando Regional da Polícia Nacional demonstram que tem havido uma redução de criminalidade de forma sustentável, o que considera “um indicador positivo” que se deve ter em conta.

Os membros da 4ª Comissão Especializada de Relações Externas, Cooperação e Comunidade estabeleceram contactos com a comunidade imigrada, que no dizer do vice-presidente, “está bem integrada e tem uma apreciação positiva da ilha e das suas gentes”, o que deixou os parlamentares satisfeito.

Segundo Emanuel Barbosa, os principais problemas estão relacionados com a documentação, mas não em número expressivo comparado com situação encontrada noutras ilhas, onde há mais problemas, sublinhando que na ilha do Fogo muitos dos imigrantes já têm a nacionalidade e outros com cartão de residência.

“O problema que se coloca tem a ver com o tempo de renovação, porque quando o processo é tramitado localmente o tempo de demora é curto, mas acontece que quando o formulário não dispõe de espaços para mais renovações, o documento é encaminhado para a Cidade da Praia, e aí demora mais tempo”, explicou o deputado.

Os parlamentares estabeleceram igualmente encontros com o director da escola secundária Dr. Teixeira de Sousa, e com o coordenador do Instituto de Emprego e Formação Profissional onde puderam constatar que estão a ser formados jovens para o futuro com a questão de língua estrangeira e a preocupação de alinhar a carteira de acções de formação de acordo com as necessidades da ilha.

Em Chã das Caldeiras, os integrantes da quarta comissão puderam verificar “in loco” a retoma das actividades económicas e registaram “com apreço”, segundo Emanuel Barbosa, o número de turistas que visitam Chã das Caldeiras e com a perspectiva futura da ilha do Fogo.

Como os deputados não tinham agendado reunião em Chã das Caldeiras, os parlamentares tiveram a possibilidade de dialogar com as pessoas, sobretudo aquelas com negócios, disse o deputado Emanuel Barbosa.

Fez saber que foram informados da retoma da actividade económica, sobretudo com a estrada que está sendo construída, já que o acesso era uma das grandes reivindicações, adiantando que neste momento existe um plano que está sendo concretizado no que tange habitação e acessibilidade.

“Havia um constrangimento, um nó no desenvolvimento, não só da ilha do Fogo, como de Cabo Verde, no geral que é a questão de transporte, mas está prevista a iluminação da pista e que representa um grande passo com consequências positivas para a economia da Ilha”, disse Emanuel Barbosa.

Nos encontros mantidos com responsáveis do liceu Teixeira de Sousa e do Instituto de Emprego e Formação Profissional, a Comissão constatou que estão a ser formados jovens para o futuro com a questão de língua estrangeira e preocupação de alinhar a carteira de acções de formação com as necessidades da ilha.

A Comissão Especializada aproveitou também para apreciar dois diplomas que haviam baixado à comissão, sendo um primeiro relacionado com a adesão à carta do Grupo de Seguimento de Unidade Financeira, adoptada em África do Sul, em Julho de 2013, o que, segundo o deputado, vai permitir ao país receber e fornecer informações credíveis e transformar num espaço financeira fiável e que credibiliza a plataforma de prestação de serviço financeiro.

O outro diploma apreciado e que a quarta Comissão vai emitir o relatório, segundo Emanuel Barbosa, é o de adesão ao Acordo de África Livre de Armas Nucleares.

JR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos