Festival Internacional de Filmes Ambientais do Atlântico previsto para Novembro de 2024 – ACACV

Cidade da Praia, 03 Nov (Inforpress) – O presidente da ACACV avançou hoje que o Festival Internacional de Filmes Ambientais do Atlântico está previsto para o mês de Novembro de 2024, na Cidade da Praia, envolvendo vários filmes e actividades que retratam questões ambientais.

Esta informação foi avançada pelo presidente da Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde (ACACV), Júlio Silvão, durante a cerimónia de tomada de posse da coordenadora geral do Festival Internacional de Filmes Ambientais do Atlântico, Elizandra Barbosa.

Este festival, conforme adiantou, vai trazer para Cabo Verde tudo aquilo que pode ser “potencializado” em prol da preservação do meio ambiente.

“O nosso propósito é que em Novembro de 2024, mais concretamente na segunda e terceira semana, o foco mundial seja concentrado em Cabo Verde. E que esse foco pode levar a mais-valia ambiental, não só ao corredor atlântico, mas ao mundo inteiro”, afirmou.

Nesta linha acrescentou ainda que, no próximo ano, quer que Cabo Verde seja o centro das atenções de todo mundo, tanto a nível das organizações internacionais, nacionais e regionais, quanto a questões ambientais, considerando que isso traz mais mais-valia.

“O problema que Cabo Verde terá com o aquecimento global e de subida de água do mar, não afecta exclusivamente o nosso país, mas todos os países que estão próximos dos litorais e oceanos”, salientou, defendendo que este compromisso é de todos.

“Por isso que o ambiente deve ser uma preocupação geral, por isso para que este festival tenha melhor alcance é importante ter uma pessoa com capacidade para coordená-lo e a empossada reúne todas as condições para fazer gestão deste festival”, assegurou o presidente da ACACV.

Ainda, de acordo com, este responsável, brevemente a comissão central irá reunir, para tratar estratégias gerais de actividades, porque querem que este festival seja mais do que uma exibição de filmes, mas sim, querem trazer actividades ambientais praticadas em Cabo Verde, para mostrar que este país não tem estado de “braços cruzados”, mas que tem estado a fazer as acções com reais possibilidades.

Este festival, conforme adiantou, terá como madrinha a primeira-dama, Débora Katisa Carvalho, além das outras parceiras.

“É uma pessoa que se disponibilizou desde o primeiro contacto a abraçar esta causa, portanto é uma madrinha que vai nos honrar não só por ser a primeira-dama, mas por ser uma pessoa que se identifica com a causa ambiental”, disse Júlio Silvão.

De relembrar que a primeira mostra internacional de Filmes Ambientais do Atlântico aconteceu no mês de Junho, de 2022, na Cidade da Praia.

DG/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos