Festas de São Filipe: Desafios e exigências motivaram a concessionar organização das festas de 2022

São Filipe, 01 Set (Inforpress) – Os desafios e a exigência da organização de excelência e à altura da festa motivaram a autarquia a abrir um concurso público para concessionar a organização, promoção e comercialização do festival associado às festas de São Filipe 2022.

Em conferência de imprensa, a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de São Filipe, Lia Barbosa, disse que a realização do concurso se enquadra também nas comemorações do centenário da elevação de São Filipe à categoria de cidade e daí que o concurso se estenderá até 31 de Julho.

Segundo a mesma, o objectivo é “colocar ao serviço do município a melhor capacidade técnica, organizacional e ‘know-how’ para potencializar cada vez mais a organização, promoção e comercialização daquela que é, a par do majestoso vulcão, o maior pacote de atracção turística da ilha do Fogo”.

Podem concorrer uma empresa de forma isolada ou agrupamento de empresas com as habilitações profissionais e/ou experiência profissional para execução das prestações do contrato, com registo empresarial na área de organização e produção de eventos e afins com sede em Cabo Verde.

A qualificação dos concorrentes é feita mediante a verificação dos documentos da candidatura numa primeira fase e avaliação das propostas apresentadas segundo o critério da proposta técnica e financeira mais vantajosa, com uma metodologia de avaliação baseada em factores como qualificação técnica e experiência profissional, plano estratégico da festa de São Filipe 2022, contrapartida financeira e outros apoios, plano de comunicação e marketing, plano de captação de patrocínios e plano de obtenção de receitas.

O júri, segundo a vereadora, é constituído por três membros efectivos e dois suplentes, sendo que as propostas devem ser apresentadas entre 25 de Agosto e 29 de Setembro e entregues na Câmara Municipal de São Filipe.

O concurso é apenas para 2022 e inclui a parte das celebrações do centenário e as actividades podem ser realizadas de forma descentralizada, quer na cidade como no interior do município, a partir do momento da celebração do contrato e até 31 de Julho de 2022.

Com o concurso, segundo a vereadora, “tudo que tem a ver com o festival de Presidio a câmara vai abrir mãos, ficando com a responsabilidade de realizar as actividades desportivas e feiras de produtos da ilha do Fogo”.

Questionada se o prazo de pouco mais de um mês não é demasiado curto para que as empresas possam montar todo o plano e participar no concurso, Lia Barbosa indicou que se trata do prazo previsto no regime de concurso público estabelecido pela Autoridade Reguladora das aquisições Públicas (ARAP), mas mostrou-se aberto para alguns esclarecimentos.

Sobre a ideia defendida por alguns de que o concurso deveria ser restrito às empresas e profissionais da ilha, a vereadora indicou que está sendo feita dentro da legalidade e exige que o concurso público tem de ser nacional ou internacional e não há preferência.

Sobre a possível deslocalização das actividades do Presidio para um outro espaço, Lia Barbosa avançou que a câmara está a ponderar no sentido de ter um novo espaço para acolher as festividades de São Filipe, mas que ainda não está definido.

A vereadora avançou ainda que é “importante olhar para as festividades não só na sua dimensão religiosa e cultural, mas também enquanto produto turístico de excelência”.

No passado mês de Junho a Assembleia Municipal autorizou a câmara a concessionar a privados a organização das festas de São Filipe 2022.

JR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos