Estudo revela que 63% dos jovens que frequentaram projectos e programas de emprego estão inseridos no mercado de trabalho

Cidade da Praia, 19 Mar (Inforpress) – O estudo sobre projectos e programas de emprego do IEFP revelou que 63% dos jovens que frequentaram este projecto estão inseridos no mercado de trabalho, sendo que 45,3% encontram-se no sector privado e 34,9% na administração pública.

O estudo de impacto dos programas e projectos de emprego, apresentado hoje na Praia, abarca o período de 2015 a 2017 e abrange o Programa Nacional de Estágios Profissionais (PNEP), o Projecto de Inserção Desempregados Longa Duração e o programa de empreendedorismo de apoio as micro e pequenas empresas geridos pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Realizado em Julho de 2018, o inquérito revelou que cerca de 60% a 70% dos jovens com formação profissional estão inseridos no mercado no acumulado e dos 1670 beneficiados, 45,3% estão no sector privado, 34,9 na administração pública, 11,1% são trabalhadores por conta própria, mas sem pessoal de serviço e 8,3% trabalham por conta própria, mas com pessoal de serviço.

Para o presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), Paulo Santos, a taxa media de execução dos três programas do IEFP é de 63%, media essa que, no seu entender, “é muito animadora” e demonstra que os projectos estão a ter impacto a nível de inserção dos jovens no mercado de trabalho.

“Este ano tivemos um reforço a nível do orçamento de estado de 318 mil contos que o Governo colocou à disposição do IEFP para os programas e projectos de emprego para um período de seis meses”, afirmou Paulo Santos, que sublinhou que a ideia é melhorar os resultados, ou seja, passar de 350 para 5 mil jovens beneficiados.

Por outro lado, assegurou que existem também outros incentivos fiscais dentro do plano de acção do IEFP, que visa promover e sensibilizar as empresas no sentido de contratarem estagiários, tendo frisando que este ano os projectos serão alargados também para as organizações da sociedade civil.

“Acreditamos que terá um forte impacto na inserção dos jovens no mercado de trabalho, com oportunidades de realizar o estágio num ambiente real, desenvolver as suas competências sócio-profissionais e mostrar as suas valências, e as empresas poderão aproveitar as oportunidades que existem sendo que os incentivos são robustos e permite contratar mão-de-obra qualificada e jovem”, precisou.

À margem da apresentação do estudo de impacto dos programas e projectos de emprego, o IEFP assinou um protocolo de cooperação com a CV Telecom, Grupo Elevo, Guia de Serviços, Banako, MEO Consulting, TIVER, Inforpress, Colmeia e OMCV que visa efectivar o Programa de Nacional de Estágio Profissional.

Financiado pela da Cooperação Luxemburguesa, através do Programa Emprego e Empregabilidade CV/081, o estudo contou com o apoio técnico do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A cerimónia de apresentação contou com a presença do vice-primeiro ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.

AV/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos