Escolas e associações contempladas com programa BA-Cultura recebem visita de Abraão Vicente

Cidade da Praia, 25 Out (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, assegurou hoje que houve um aumento do número de alunos e capacidade pedagógica das escolas e associações comunitárias beneficiadas do programa Bolsa de Acesso à Cultura (BA-Cultura).

O ministro, que visitou hoje algumas instituições beneficiadas com o programa, na Cidade da Praia, para acompanhar os progressos alcançados após o financiamento do programa em 2019, considerou que as verbas estão a ser “bem aproveitadas”, na medida que se nota “um aumento do número de alunos”, referindo-se ao caso da Associação Comunitária Monte Pensamento, que passou de 22 para 35 jovens.

Conforme recordou, numa visita àquele local no início do projecto, a associação detinha apenas um quarto e agora “tem uma casa completa” com os instrumentos fornecidos pelo ministério, possibilitando, sublinhou, o acolhimento de novos jovens que queiram aderir à cultura.

Este ano, avançou Abraão Vicente, o programa BA-Cultura conta com 109 escolas inscritas e quatro mil bolseiros, mas o objectivo é alargar o projecto às várias outras comunidades e aumentar o acesso ao financiamento no próximo Orçamento de Estado (OE) passando de 27 mil contos para 30 mil contos.

“É um programa extracurricular que tem ajudado a empoderar as comunidades. Prova disso, é a participação da Bolsa de Acesso à Cultura na celebração do Dia Nacional da Cultura, onde em praticamente todas as ilhas, as escolas participaram nas comemorações”.

O fundador e presidente da Associação Comunitária Monte Pensamento, José Baessa, destacou a adesão dos jovens da localidade ao projecto, garantindo que houve um grande impacto no desenvolvimento do sector em Cabo Verde, onde jovens que antes não tinham qualquer contacto, hoje “cantam e dançam”

O maior desafio, informou, tem a ver com a construção de uma sede própria para atender os alunos com idade compreendida entre os 6 e 18 anos, anunciando que já marcaram uma audiência com o presidente da Câmara Municipal da Praia, Francisco Carvalho, para aquisição de um terreno.

“Somos uma associação criada para desenvolver a comunidade, no nosso estatuto iniciamos com 12 voluntários, agora somos apenas três e por isso tem sido difícil desempenhar todo esse papel”, completou, avançando que o espaço é alugado e que oferece aulas de viola, flauta, tumba, dança e batuco.

O programa foi lançado pelo Governo em 2017, com o intuito de maximizar o ensino, através das artes, em todo o território nacional, atribuindo bolsas de estudos a crianças, adolescentes e jovens de famílias com menos recursos.

Só na cidade da Praia, conta com 42 escolas beneficiadas e um total de1.670 alunos bolseiros, sendo 846 do sexo feminino e 824 do sexo masculino.

LT/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos