Diáspora: Artista plástico cabo-verdiano Nélson Neves expõe pinturas no `Chambre des Salariés´ no Luxemburgo

Cidade da Praia, 26 Set (Inforpress) – O artista plástico cabo-verdiano residente no  Luxemburgo Nélson Neves expõe, de 01 a 31 de Outubro, no `Chambre des Salariés` em Luxemburgo, cerca de 50 quadros que retratam a vida das mulheres e homens em Cabo Verde.

Em conversa com à Inforpress, este artista, natural de São Antão e que vive há mais de 30 anos no Luxemburgo, disse que vai apenas apresentar nesta exposição cerca de 50 obras, uma vez que está a preparar uma “grande exposição” em 2020.

“Vai ser ‘Rétrospective Nelson Neves 2000 – 2020’ de 05 Fevereiro até 01 de Março de 2020 na galeria d’Arte H2O na villa de Differdange”, informou.

Segundo revelou tudo lhe inspira na sua arte, desde o Continente Africano no geral e em particular as ilhas de Cabo Verde, a vida de mulheres e homens em Cabo Verde, o mar, os sentimentos, a natureza, o meio ambiente e a cultura.

O Grão-Ducado do Luxemburgo, um país que lhe acolheu desde dos sete anos de idade, também tem sido uma influência nas suas pinturas.

Nelson Neves nasceu em Santo Antão, Cabo Verde, em 1973. Aos sete anos de idade, emigrou com os pais para o Luxemburgo. Após os seus estudos primários e pós-primários, ele aprendeu a profissão de decorador antes de iniciar a pintura.

A sua primeira exposição de pinturas foi realizada em Setembro de 2001 em Rodange, enquadrada na Semana Cultural de Cabo Verde.

Participou em cerca de quarenta exposições individuais e em grupo no Luxemburgo, França e Cabo Verde.

De acordo com o portfólio do artista, a arte de Nelson Neves situa-se entre “figurativo e abstracto” e as suas cores são “muito brilhantes e bem contrastadas”.

“As pinturas do artista não apenas dão impressões do momento, convidam o contemplador a fazer longas viagens a outros continentes. Os seus trabalhos são um lembrete das roupas coloridas das mulheres na África”, lê-se no referido documento.

O artista também oferece oficinas de pintura “Arte Africana” para crianças e adolescentes, mas também para pessoas com deficiência física ou mental, no Luxemburgo e em Cabo Verde.

AM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos