Crescimento económico abranda no primeiro trimestre deste ano registando valores mais baixos dos últimos 15 trimestres – INE

Cidade da Praia, 07 Mai (Inforpress) – O crescimento económico no País registou um abrandamento no primeiro trimestre de 2020 apontando um dos valores mais baixos dos últimos quatro anos, últimos quinze trimestres, conforme dados avançados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE)

De acordo com o Inquérito de Conjuntura aos Agentes Económicos do INE, o ritmo de crescimento económico “abrandou fortemente” no primeiro trimestre 2020, “registando o valor mais baixo dos últimos 15 trimestres consecutivos, evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo”.

“A conjuntura económica é desfavorável”, apontou o documento indicador de clima económico, divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística.

No decorrer do primeiro trimestre de 2020, segundo a mesma fonte, as dificuldades financeiras e a insuficiência da procura foram os principais constrangimentos do sector.

No Turismo, o indicador de confiança inverteu a tendência ascendente do último trimestre, registando o valor mais baixo dos últimos 14 trimestres consecutivos, situando abaixo da média da série.

“Os empresários apontaram a insuficiência da procura e as dificuldades financeiras como sendo os principais obstáculos do sector, no 1º trimestre de 2020”, adiantou o INE.

Na construção civil, a situação também se mantém desfavorável, com o indicador a inverter a tendência ascendente do último trimestre, situando abaixo da média da série e com os empresários a apontarem a “insuficiência da procura e as dificuldades na obtenção de crédito bancário” como sendo os principais constrangimentos do sector.

Outros dos sectores com a conjuntura desfavorável é a indústria transformadora em que o indicador registou o valor mais baixo desde início da série, “evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo”, disse o INE.

“Segundo os empresários, a pandemia da covid-19 foi o principal constrangimento do sector no decorrer do primeiro trimestre 2020”, lê-se no documento que aponta as mesmas causas para a evolução negativa no sector do transporte e serviços auxiliares aos transportes, que registaram o valor mais baixo dos últimos sete trimestres consecutivos, evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo.

O único sector onde a conjuntura, conforme o INE, se mostra favorável é o do comércio em feira, mas mesmo assim o indicador de confiança manteve a “tendência descendente do último trimestre, registando o valor mais baixo dos últimos oito trimestres consecutivos”.

LN/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos