CPLP: Presidente Jorge Carlos Fonseca pede a comunidade internacional para ajudar Moçambique

Cidade da Praia, 20 Mar (Inforpress) – O Presidente de Cabo Verde e presidente em exercício da CPLP apelou hoje a comunidade internacional “no sentido de tudo fazer para ajudar as autoridades moçambicanas neste momento de grande tragédia humanitária” que atravessa o país.

“Comovido com a sua situação, permita-me dirigir-me a Vossa Excelência para solicitar o meu apelo urgente à comunidade internacional no sentido de tudo fazer para ajudar as autoridades moçambicanas neste momento de grande tragédia humanitária que atravessa esse país amigo e irmão”, lê-se na missiva que Jorge Carlos Fonseca endereçou ao secretário-geral da ONU, António Guterres.

O presidente em exercício da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) encoraja as Nações Unidas e a todos os organismos competentes das Nações Unidas, em particular aqueles responsáveis pela segurança, paz e assistência, “a continuar os seus esforços de assistir Moçambique e as pessoas afectadas por este grande desastre ambiental”.

Em Moçambique, o Presidente da República, Filipe Nyusi, anunciou na terça-feira que mais de 200 pessoas morreram e 350 mil “estão em situação de risco”, tendo decretado o estado de emergência nacional.

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na quinta-feira à noite, deixando os cerca de 500 mil residentes sem energia e linhas de comunicação.

A Cruz Vermelha Internacional indicou na terça-feira que pelo menos 400 mil pessoas estão desalojadas na Beira, em consequência do ciclone, considerando tratar-se da “pior crise” do género no país.

No Zimbabué, foram contabilizados mais de 100 mortos e mais de 200 feridos, com as estimativas a apontarem para mais de 500 desaparecidos, enquanto no Malawi as únicas estimativas conhecidas apontam para pelo menos 56 mortos e 577 feridos.

LC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos