CPLP cria Fundo de Solidariedade para apoiar Moçambique

Cidade da Praia, 24 Mar (Inforpress) – O Comité de Concertação Permanente da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) criou um Fundo de Solidariedade para apoiar as regiões atingidas pelo ciclone Idai que destruiu estradas, pontes, hospitais e escolas e causou vários mortos em Moçambique.

Segundo uma nota informativa publicada no site oficial da CPLP, esta decisão saiu reunião extraordinária dedicada à situação naquele estado-membro, realizada esta sexta-feira e que foi presidida pelo secretário executivo da CPLP Francisco Telles, na qual Cabo Verde esteve representado pelo embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro.

A CPLP, avança a mesma fonte, expressa a sua profunda consternação pela catástrofe natural que afecta quatro províncias do centro de Moçambique, salientando que é nestas “circunstâncias de sofrimento de um povo irmão que a natureza solidária da comunidade”, assente em laços históricos e de amizade, se manifesta.

De acordo com a mesma fonte, foi também decidido durante o encontro, que a CPLP convidará os Observadores Associados a contribuírem para o referido fundo, realçando, neste sentido que esta iniciática promoverá um envolvimento activo por parte dos Observadores Consultivos.

Por outro lado, ajuntou a mesma nota, accionará as comissões temáticas mais pertinentes, nomeadamente na área da saúde, para acudir às necessidades imediatas e subsequentes das populações afectadas.

Os Estados-membros vão também discutir a criação de mecanismos para intervenção coordenada em situação de emergência humanitária por catástrofe, para dar resposta a problemas desta natureza, na próxima reunião de ministros da Administração Interna e do Interior, a realizar-se em Abril, em Cabo Verde.

“A CPLP congratula-se com a pronta resposta dos Estados-Membros no quadro bilateral e com as numerosas manifestações de solidariedade das sociedades civis”, lê-se na nota, que sublinha que a CPLP confia na resposta das autoridades nacionais à situação de emergência e homenageia a coragem do povo moçambicano, reafirmando a sua fraterna solidariedade a Moçambique.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Malawi e Zimbabué provocou mais de 400 mortos, segundo os dados divulgados pelos respectivos governos este sábado 23, que revelaram que subiu para 418 o número de mortos pelo ciclone Idai no centro de Moçambique e que as autoridades contabilizam também 1.500 feridos e 89 mil pessoas que já estão em situação de segurança.

O Idai, com fortes chuvas e ventos de até 170 quilómetros por hora, atingiu a Beira (centro de Moçambique) na passada quinta-feira deixando os cerca de 500 mil residentes na quarta maior cidade do país sem energia e linhas de comunicação.

CM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos