CPLP: Cabo Verde vai lançar concurso de escrita em língua portuguesa

Cidade da Praia, 06 Mai (Inforpress) – Cabo Verde vai lançar um concurso de escrita em língua portuguesa destinado aos alunos do ensino secundário dos Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), revelou hoje a directora nacional da Educação, Sofia Figueiredo.

A informação foi dada momentos antes da abertura oficial da semana comemorativa do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP, que decorre de 06 a 10 deste mês, na Cidade da Praia, sob o lema “A cultura e a aproximação dos povos da CPLP: realidades, desafios e perspectivas futuras”.

Sofia Figueiredo adiantou que esta proposta está inserida no plano de trabalho de educação para o biénio 2018/2020 da presidência cabo-verdiana em exercício da CPLP, e que a mesma vai ser implementada pela Direcção Nacional da Educação.

“Neste momento, o trabalho está a ser desenvolvido e pretendemos divulgá-lo para todos os Estados-membros através do secretario executivo da CPLP até o final de Maio sendo que é um projecto que está a ser desenhado de forma que cada país possa adequá-lo à sua actividade lectiva já que estamos no final do ano lectivo e os países iniciam as aulas em período diferente”, explicou.

Para comemorar o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura, avançou que o Ministério da Educação está a promover também actividades de divulgação dos contos tradicionais dos países da CPLP com apresentação do áudio-contos junto das escolas dos ensinos Básico e Secundário e uma exposição sobre os “20 anos da CPLP” em simultâneo nos concelhos do país.

A directora nacional da Educação explicou que através desta exposição os alunos vão conhecer melhor algumas realidades dos Estados-membros, fazendo com que essa temática seja discutida e promovida no âmbito do ambiente escolar.

“A nível dos contos tradicionais pretendemos também fazer uma divulgação para que os alunos, jovens, pais e encarregados de educação saibam que os contos estão disponíveis através de aplicativos de telemóveis”, indicou.

Por outro lado, acrescentou que existem ainda outras propostas de acções para desenvolver junto dos Estados-membros a nível da educação para jovens e adultos.

Segundo Sofia Figueiredo, trata-se de uma área que Cabo Verde tem alguma experiência e pode partilhar com os Estados-membros que trabalham com jovens e adultos no processo de alfabetização, e por outro lado, o arquipélago poderá receber uma ajuda dos países que estão mais avançados a nível de formação profissional voltada para este público alvo.

AV/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos