Covid-19/São Vicente: Universidade do Mindelo volta às aulas na segunda-feira com garantia de “todas as condições” 

Mindelo, 08 Mai (Inforpress) – A Universidade do Mindelo (Uni-Mindelo), em São Vicente, regressa às aulas nesta segunda-feira, 11, para acolher cerca de 100 alunos numa primeira fase e com “todas as condições”, assegurou o responsável do conselho científico, Graciano Nascimento.

A Uni-Mindelo, segundo a mesma fonte, é a primeira universidade no País a retomar as aulas presenciais, primeiramente de modo faseado com os estudantes do quarto ano, contabilizados em cerca de cem, e que devem regressar no dia 11, e depois os estudantes dos anos restantes, esperados a partir do dia 18.

“Para esse regresso estamos a seguir todas as medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS), e as aconselhadas às instituições do ensino superior emanadas pelo Ministério de Educação”, asseverou Graciano Nascimento, apontando algumas adaptações já feitas, por exemplo, um aluno por cada mesa, liquido desinfectante em todas as salas e casas de banho funcionando normalmente, com água e sabão.

Questionado sobre os perigos possivelmente existentes durante os intervalos, o membro do conselho científico afiançou que não haverá intervalos e as aulas, duas diárias de duração de uma hora e meia cada, vão ser ministradas em sequência.

Outras das medidas tomadas, conforme a mesma fonte, relaciona-se com o facto de as aulas serem de presença facultativa e os estudantes terem a possibilidade de receber os conteúdos através de correio electrónico.

“Mas, terão de vir fazer as avaliações, quer as contínuas, quer as de exames”, explicou Graciano Nascimento, que aponta um novo calendário com as aulas, estendidas até 24 de Julho, seguido do período de exames de primeira e segunda época, programados até 21 de Agosto.

Um prolongamento da época escolar que, ajuntou, não deverá interferir no início do próximo lectivo, marcado logo para inícios de Outubro.

Graciano Nascimento garantiu que esse regresso está a ser coordenado com as autoridades como a Delegacia de Saúde, que irá avaliar o arranque e orientar para as devidas correcções, e que também possibilitou a campanha de desinfecção da universidade realizada na manhã de hoje.

Por outro lado, conforme a mesma fonte, também estão criadas as condições para caso houver um caso suspeito na universidade, que contará com auxílio dos profissionais do curso de enfermagem da Uni-Mindelo e as autoridades sanitárias, que vão ser acionadas logo de imediato.

“Não há como ficar parado, temos que continuar a trabalhar, mas claro com a tomada de todas as medidas de proteçcão e de segurança possíveis”, concretizou Graciano Nascimento, que apontou um total de 700 a 800 estudantes distribuídos por cerca de dez cursos.

LN/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos