Covid-19/Santa Cruz: Câmara e Governo apoiam duas mil famílias vulneráveis

Pedra Badejo, 30 Mar (Inforpress) – A Câmara Municipal de Santa Cruz e o Governo vão apoiar duas mil famílias vulneráveis do município com a distribuição de produtos da primeira necessidade, como géneros alimentícios e artigos higiénicos, devido ao estado de emergência.

Conforme divulgou a edilidade na sua página oficial na rede social Facebook, o objectivo é ajudar as famílias “mais vulneráveis” no combate à propagação da covid-19 no concelho.

“Num universo de aproximadamente seis mil famílias que o município tem, a câmara e o Governo decidiram apoiar cerca de dois mil, através de um programa especial”, lê-se na publicação, que dá conta que o programa obedece a um regulamento “rígido”, levando em consideração os dados do cadastro social único.

A mesma fonte avançou que, como nem todas as famílias carenciadas encontram-se registadas no cadastro social único, se optou por envolver as associações comunitárias e pessoas idóneas na identificação dessas famílias.

O programa abrange famílias numerosas, com doentes acamados, deficientes, crianças, idosos e rendimento de zero a dez mil escudos.

A autarquia santa-cruzense garantiu que nas próximas horas as referidas famílias vão receber as cestas básicas para satisfazerem as suas necessidades durante um mês.

Entretanto, apelou ao uso racional, tendo em conta a imprevisibilidade deste fenómeno.

A câmara municipal assegurou, também, que em parceria com outras instituições vão passar a garantir uma sopa aos moradores de rua em Pedra Badejo.

Sobre as medidas sociais aprovadas pelo Governo, a mesma fonte assegurou que serão implementadas “brevemente”, beneficiando as famílias cobertas pelo Programa de Rendimento Social de Inclusão, as vendedeiras ambulantes, crianças, estudantes e idosos que vivem sozinhos.

De acordo com o site oficial da informação sobre a covid-19, Cabo Verde regista “35 suspeitos acumulados, seis casos confirmados, zero recuperados e um óbito”.

A nível mundial, dados divulgados esta segunda-feira, 30, dão conta que a pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 35.000 pessoas em todo o mundo, incluindo quase três quartos na Europa, desde que em Dezembro apareceu na China.

Com 11.591 mortes, a Itália é o país com mais mortes no mundo, seguida pela Espanha (7.340) e China (3.304), o foco inicial do contágio.

Mais de 740.000 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados em 183 países e territórios, incluindo pelo menos 408.203 na Europa, quase 150.000 nos Estados Unidos e Canadá (2.635 mortes entre eles) e 106.609 na Ásia (3.827 mortes).

WM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos