Covid-19: Mais de 90 mil pessoas já beneficiaram do Programa de Assistência Alimentar

Cidade da Praia, 14 Abr (Inforpress) – O Programa de Assistência Alimentar, implementado pelo Governo, no âmbito do estado de emergência derivado da covid-19, já beneficiou 99 mil pessoas, revelou hoje a ministra da Família e da Inclusão Social.

Maritza Rosabal, que falava à imprensa no final do encontro entre o Governo e as instituições sociais, assegurou que com a mobilização e união dos esforços foi possível alargar a abranger esse apoio para mais de 93 mil beneficiários que estavam previstos inicialmente.

Explicou que neste momento o programa está totalmente implementado em 16 municípios do país, faltando apenas seis concelhos, nomeadamente São Salvador do Mundo, São Miguel, Santa Catarina do Fogo, Mosteiros, São Filipe e Ribeira Grande (Santo Antão), cujos processos poderão estar concluídos esta quarta-feira.

Apesar disso, avançou que 104% das acções já foram cumpridas, graças à mobilização dos recursos locais, união dos esforços entre poder central e local, empresas e pessoas individuais, permitido assim beneficiar não só o público-alvo, que estava inicialmente identificado, mas alargar essa cobertura a outras pessoas.

O programa é coordenado pela Fundação Cabo-verdiana de Acção Social Escolar (Ficase), em parceria com as câmaras municipais, organizações não-governamentais (ONG) e associações.

Por outro lado, disse que o programa de garantia de rendimento às famílias irá abranger 38 mil pessoas, sendo que 30 mil através do Rendimento Social Solidário, e 8 mil com o Rendimento Social de Inclusão.

Segundo a governante, a plataforma online criada neste âmbito tem neste momento mais de 21 mil inscritos e tem contribuído com ganhos a nível organizacional e na capacidade de execução dos processos.

Em relação ao programa de reforço do cuidado de idosos, explicou que as autarquias estão a trabalhar em diferentes cenários, sendo que alguns municípios não necessitam dos serviços de cuidados, outros vão contratar serviços, mas todos têm garantido a distribuição de refeições e cestas básicas aos idosos.

A directora-geral da Inclusão Social, Mónica Furtado, adiantou que grande parte das pessoas que estão no sector informal, que tem o rendimento abaixo de 20 mil escudos vai ser contemplada com o Rendimento Social Solidário.

Sobre a execução do Rendimento Social de Inclusão, disse que 712 agregados familiares já receberam esse apoio.

“Entre hoje e amanhã [quarta-feira], foi o prazo de limite dado às equipas municipais para recolha das informações junto desses novos agradados, que irão integrar algumas pessoas que já têm documentação e dados bancários já certificados. Estes vão receber primeiro, há outras pessoas que estão ainda no processo de abertura de contas”, apontou, indicado que o processo será por fase e à medida que tiveram todas as informações completadas, será feita a transferência bancária.

Acrescentou que os concelhos da Praia, São Vicente, Santa Catarina e Santa Cruz terão a maior quota.

O encontro serviu para fazer a avaliação da aplicação das medidas de protecção social implementadas pelo Governo, no âmbito da luta contra o novo coronavírus.

AV/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos