Covid-19/ Ilha do Sal: Líder bancada MpD defende reforço da área marítima para evitar entrada do vírus

Espargos, 27 Abr (Inforpress) – A líder da bancada do MpD (situação) na autarquia receia fuga de pessoas das ilhas com registos da covid-19, pelo que acautela para o reforço da área marítima, de forma a evitar a entrada do vírus no Sal.

Luísa Fortes fez essas declarações hoje à Inforpress, atendendo, especialmente, à situação da ilha vizinha de Boa Vista, que regista casos da covid-19.

A eleita municipal, sublinha, todavia, que até o momento, o Governo, as instituições sanitárias, com a ajuda da população, têm sabido driblar este problema que aniquila o mundo, tendo também chegado ao País.

“Tendo sido levantado o estado de emergência, isso não quer dizer que temos que baixar a guarda. Há que continuar com as medidas de restrições para a segurança de toda a gente”, reflectiu.

Considerando, por outro lado, que durante toda a história de Cabo Verde as pessoas nunca haviam experimentado uma situação de confinamento, Luísa Fortes acautela, que para evitar e vencer o vírus, a luta deverá ser colectiva e individualmente.

“É o apelo que tem sido feito, e nós todos temos que contribuir. Contudo, a minha maior preocupação prende-se com a possibilidade de pessoas nas ilhas com registos da covid-19, particularmente, Boa Vista, tentarem o escape para o Sal, através da via marítima”, ponderou em sentido de alerta.

Nessa medida, a eleita municipal chama a consciência das pessoas, no sentido de perceberem que se trata de uma doença “perigosa”, que não escolhe rico, pobre, cor ou raça.

“As pessoas devem ter consciência de que se trata de uma doença perigosa. O meu receio é as pessoas, particularmente na ilha da Boa Vista, uma vez vizinha, não respeitarem as regras, as autoridades, e na calada da noite, tentarem vir para o Sal, via marítima”, exteriorizou, acautelando para uma maior vigilância a esse nível.

Tomada por esse pensamento, Luísa Fortes endereçou uma palavra de ânimo às famílias e pessoas infectadas com coronavírus, aconselhando-as a terem paciência, e cuidados de forma transversal.

“Nas ilhas onde há registos de casos positivos, peço às pessoas a terem paciência, calma, muito cuidado, e fé em Deus, sobretudo. Tudo passa. Não há mal que perdure”, exteriorizou.

Elogiando o trabalho do corpo policial e militares na ilha, durante o tempo de contingência, estado de emergência, a eleita municipal, ciente da dificuldade de se poder vigiar as praias 24/24 horas, apela tão-somente à consciencialização de cada indivíduo nesse sentido.

“Penso que as forças policiais deverão continuar com marcação cerrada, fazer patrulhas para evitar que pessoas, na calada da noite, entrem na ilha via marítima, através de botes, para o protecção e bem de todos”, manifestou em tom de preocupação.

SC/JMV

Inforpress

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos