Covid-19/Fogo: Mais de 300 famílias de Santa Catarina podem ser contempladas pelas medidas anunciadas pelo Governo

São Filipe, 31 Mar (Inforpress) – Mais de 300 famílias pobres e com maiores necessidades do município de Santa Catarina do Fogo podem ser contempladas pelas medidas sociais anunciadas pelo Governo no quadro da prevenção do novo coronavírus (covid-19).

O presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, avançou à Inforpress que a autarquia já dispõe de uma equipa de trabalho integrado por elementos da câmara, bombeiros voluntários e de gabinete social que funcionará num sistema de rede e em contacto com o Governo.

Aquele responsável indicou ainda que a autarquia já elaborou uma lista de potenciais beneficiários de rendimento social de inclusão emergencial, assim como a lista de empregos no município, que já foram encaminhadas para o Governo visando atribuição do subsídio, mas também a lista de comerciantes informais para a mesma finalidade.

Alberto Nunes salientou que nos últimos dois dias percorreu as localidades do município para dialogar com as pessoas, que, no dizer do mesmo, “estão a cumprir as medias, sobretudo de permanecer em casa”, mas também para informar as pessoas sobre a atribuição de subsídios/cesta básicas neste período.

Em relação à atribuição de cestas básicas, Alberto Nunes indicou que foi escalonada em três categorias consoante o número de agregado familiar, oscilando entre os três mil e os seis mil escudos.

“Estamos à espera da lista do Governo para entrar em acção e já temos equipa pronta”, afirmou o presidente da câmara, observando que se alguma família com necessidade não for contemplada com o rendimento social de inclusão emergencial, a autarquia dispõe de pessoas em cada localidade para identificar estes casos de modo a serem contempladas pela câmara, com recursos próprios ou de outros parceiros.

Nunes avançou que no município tudo está parado, inclusive as obras municipais e adiantou que estava previsto iniciar ontem um conjunto de obras para reabilitação de escolas, placas e jardins de infância e de construção de acessibilidades e habitações, no valor de cerca de 30 mil contos que estão em standby e em relação à reabilitação da estrada Cova Figueira/Casinha a autarquia solicitou o empreiteiro a sua suspensão neste período de Estado de Emergência.

No município de São Filipe, também várias obras municipais estão suspensas neste momento devido à declaração de Estado de Emergência no âmbito da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

JR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos