Covid-19: Empresas de cabo-verdianos nos Estados Unidos beneficiam de fundo de protecção ao emprego

Cidade da Praia, 07 Mai (Inforpress) – O cônsul-geral de Cabo Verde em Boston revelou que muitas pequenas empresas de cabo-verdianos nos EUA beneficiam do fundo de protecção ao emprego, mediante a candidatura aprovada junto do Tesouro, o que permite assegurar o salário dos trabalhadores.

Hermínio Moniz deu esta nova em entrevista à Inforpress, tendo considerado tratar-se de uma iniciativa proveniente de um conjunto de políticas adoptadas pelo governo norte-americano para fazer face à crise da pandemia de covid-19, integradas no âmbito das políticas de calamidades económicas.

Isto surge no quadro das alternativas para mitigar o impacto económico, numa altura que se regista o enceramento das fábricas e empresas derivado da pandemia do novo coronavírus, covid-19.

“Não têm um impacto de crescimento económico evidente, mas têm um impacto, sobretudo, de evitar que a crise tenha um efeito muito mais forte e duradouro na economia. Infelizmente a realidade é essa e os Estados Unidos ainda para voltar a atingir o nível do crescimento vai levar algum tempo”, asseverou.

Já em relação aos emigrantes cabo-verdiano “indocumentados”, o cônsul admite que a realidade é bem mais difícil e que esta situação deixa o consulado numa situação nada confortável, pelo que os cabo-verdianos em situação de vulnerabilidade económica ficam mais fragilizados porque o estado de Massachusetts não tem um programa para ilegalizados.

Neste caso particular, a solução para a comunidade cabo-verdiana no estado de Massachusetts, passa por acções levadas a cabo por um conjunto de instituições caritativas de natureza filantrópicas, que oferecem cestas básicas para suprimir as necessidades de alimentação mais imediatas.

Para esta situação extrema, assegurou, todos os estados dispõem destas instituições contempladas com fundos estatais, precisamente para apoiar as pessoas em situação difícil, assim como outras iniciativas promovidas pelas comunidades cabo-verdianas visando angariação de uma conta para arrecadação de fundos através das associações.

Estas têm a missão de proceder a colecta, seja através de géneros alimentícios, ou de uma ajuda em espécie, de modo que este processo transparente chegue aos agregados familiares que passam por estas dificuldades de sobrevivência.

O diplomata ‘mergulha’ nas previsões do banco central americano, em como a pandemia vai ter um impacto muito forte e que vai perdurar por algum tempo, para considerar que do ponto de vista do desemprego e da economia, a situação cuja memória não há nos EUA,  é comparada a Grande Depressão originada pela crise de 1929.

Hermínio Moniz acredita, entretanto, que como um país baseado numa economia muito forte, políticas viradas para colmatar o desemprego, faz com que os lesados recebam do Tesouro americano um cheque estímulo, direccionado às pessoas documentadas e que fazem a declaração do imposto de renda, sobretudo as com situação normalizada em 2018/19.

Concretamente, a cidade de Boston, clarificou que, semanalmente, o Tesouro americano envia estes cheques aos que perderem ou viram em suspensão os seus postos de trabalho, no quadro de um conjunto de medidas para tentar, minimamente, reduzir o impacto sanitário na economia.

O cônsul-geral de Cabo Verde em Boston sintetizou que esta pandemia está a ter um impacto tão forte na economia que o Congresso norte-americano aprovou um pacote de 487 bilhões de dólares quando já tinha autorizado um outro de 300 milhões para as pequenas empresas, no quadro da protecção ao emprego.

SR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos