Covid-19/Brava: Delegado da Educação garante que os responsáveis das escolas já começaram a receber as fichas de acompanhamento

Nova Sintra, 06 Mai (Inforpress) – O delegado da Educação na Brava confirmou à Inforpress que na terça-feira alguns responsáveis das escolas da ilha começaram a receber as fichas de acompanhamento que serão entregues posteriormente aos professores e aos encarregados de educação.

Orlando Burgo adiantou que a sua equipa está a fazer de tudo para que ninguém fique de fora neste processo na ilha.

Segundo o responsável, o sistema de ensino à distância tem estado a funcionar na rádio e na televisão e que a delegação do Ministério da Educação tem feito um trabalho de levantamento das casas que possuem os aparelhos e acesso aos canais de transmissão das aulas.

Realçou que a Brava, de um momento para o outro, entra em situações “complicadas” e que levam a uma entrada no “estado de emergência” sempre, querendo ou não.

Conforme explicou, este estado é provocado pelas próprias condições da ilha, imposta pela sua natureza insular.

“Às vezes, é a falta de comunicação, do sinal de televisão e rádio, é telefone que às vezes bloqueia, falta de ligações marítimas”, elencou o dirigente.

Sobre o que tem feito neste período, no quadro da educação, adiantou que estão no processo de composição e distribuição das fichas para acompanhamento das aulas, além do levantamento que a delegação tem feito sobre o acesso aos órgãos de comunicação social e o envio de exercícios por parte dos docentes aos encarregados de educação para serem resolvidos pelos alunos.

Orlando Burgo disse ter conhecimento de algumas zonas de sombra, acrescentando que a Televisão Digital Terrestre – TDT colocou os equipamentos na Brava para a montagem do processo e nesta mesma altura já havia problema de sinais do canal público de televisão que não foi resolvido, principalmente nas zonas da freguesia de Nossa Senhora do Monte, que sempre são as mais afectadas, deixaram de ter sinais.

Sendo assim, garantiu que os docentes estão a fazer os seus trabalhos, contactando os alunos e recolhendo as informações necessárias para poderem chegar aos alunos de acordo com os requisitos que dispõem e que vão segui-los.

O delegado pediu uma certa paciência por parte dos pais e encarregados da educação, adiantando que eles mesmos podem contactar a delegação, os responsáveis das escolas ou dos complexos educativos, ou mesmo os docentes sempre que necessário.

Orlando Burgo aproveitou para pedir aos pais e encarregados de educação para se “informarem melhor e transmitir informações verídicas e de acordo com a realidade”, ajuntando que a sua equipa está a fazer tudo o que está no seu alcance.

MC/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos