Covid-19/Boa Vista: Associações e grupos ajudam a organizar acções solidárias e pedem engajamento de todos

Sal Rei, 25 Abr (Inforpress) – Associações e grupos, na Boa Vista, estão a desenvolver acções solidárias para arrecadar bens alimentícios e outros para ajudar os mais necessitados e desempregados, devido ao impacto do novo coronavírus na ilha.

No norte da ilha, os agricultores, em parceria com a comissão dinamizadora de campanhas de limpezas plantação e iluminação das ruas de João Galego, ofereceram cerca de uma tonelada de verduras e legumes à Câmara Municipal da Boa Vista, para ser distribuída as famílias que neste momento estão a passar por dificuldades por causa da covid-19.

Segundo elemento deste grupo,  com a declaração do estado de emergência, os agricultores e criadores do gado tem enfrentado “vários obstáculos”, sendo um deles a venda dos produtos agrícolas, bem como a compra de combustível.

Mas, mesmo com escassez da água, decorrente dos três anos de seca e as dificuldades causada pela covid-19, os agricultores garantem que “estão abertos” para ajudar.

No centro da cidade de Sal Rei, está em curso a campanha da Câmara Municipal de Boa Vista que, através de comerciantes chineses, arrecadou bens alimentícios e de higiene, distribuídos à camada mais vulnerável.

A Associação SOS Bubista, por seu lado, através de particulares e empresários contribuiu com materiais de limpeza, gel desinfestante,  álcool, papel higiénicos, colchões, lençóis e travesseiros.

Conforme um dos membros desta associação, este grupo logo no início canalizou as ajudas para o Centro de Saúde e agora pretende fazer esta mesma corrente de ajuda para a população.

Ainda segundo este membro já programam outras acções para início/meados de Maio, para colmatar as necessidades que poderão surgir mais a frente, visto que por agora a população está com algum mantimento das várias acções solidárias que vão surgindo.

O Grupo de Jovens Solidários da Boa Vista, liderado por Lamine Rush, já distribuiu 530 cestas básicas, 430 das quais na zona de Boa Esperança, e em outros povoados.

Lamine Rush disse que após esta entrega o grupo vai focalizar as acções solidárias mais no centro da cidade.

Segundo este líder associativo, “grande quantidade” dos apoios arrecadadas são oriundos do estrangeiro e de emigrantes, que entregaram a este grupo subsídios monetárias para comprar bens alimentícios.

Entretanto, além de bens alimentícios, conseguiram comprar ainda cerca de 300 litros de água na empresa distribuidora para abastecer a população de bairro de Boa Esperança.

Lamine Rush aproveitou para agradecer às pessoas e empresas que os ajudam nesta causa e pediu a estes e outros que continuem a apoiá-los nesta campanha solidária.

O representante do grupo Rapazes de Bom Sossego, Rui Lima, por seu lado, adiantou que conseguiram ajuda monetária através de um directo no Instagram, feito por uma blooguer na França, em que muitos seguidores fizeram uma doação.

Este mesmo grupo avançou ainda que já tem resposta positiva de outra parceria nos Estados Unidos, e que aguardam para acertar o processo de como se irá ser canalizada esta ajuda.

Em Rabil, cerca de 74 famílias já foram beneficiadas pela ‘Help for Rabil’, de Louise Fletcher, que fez estas doações através de outras ajudas.

Esta mesma associação tem em curso outro ‘crowfunding’ com o objectivo de juntar mil euros através de doações online.

Depois de alcançar este objectivo, a associação, que tem pagina online “Working Togehter to make a positive impact”, vai também comprar alimentos para ajudar os que ficaram desempregados devido a covid-19, tendo em conta o “grande número” das pessoas que trabalham nos hotéis, agora encerrados.

Na zona de Boafareira, existe a Associação Onze Estrelas que, depois da primeira iniciativa do programa Radio Terraço para convencer as pessoas a ficarem em casa, entre outras medidas para combater o covid-19, surgiu também a ideia de outros projectos sociais.

Hernany Santos, um dos membros da associação, explicou que a intenção é recolher bens de primeira necessidade, juntar num local e ir dividindo e racionalizando a entrega para as pessoas realmente mais carenciadas.

Todas estas associações e grupos contactadas pela Inforpress agradecem aos que ajudaram até este momento e apelam para maior engajamento nestas acções e ajudas solidárias, de modo a diminuir o impacto das necessidades básicas que as pessoas vêem sentido devido ao novo coronavírus.

VD/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos