Covi-19/Praia: Responsáveis de jardins infantis preocupados com a sustentabilidade financeira dos mesmos

Cidades da Praia, 20 Abr (Inforpress) – Os responsáveis de alguns jardins privados da Praia mostraram-se, hoje, preocupados com a sustentabilidade financeira e o futuro incerto dos mesmos, face ao contexto da pandemia da covi-19 que tem afectado Cabo Verde e que obrigou ao encerramento dos jardins.

Em declarações à Inforpress, a responsável do Jardim “Nós Sperança”, Elisangela Pereira, do bairro de Achada Grande Frente, explicou que a situação do funcionamento do referido jardim é muito difícil, uma vez, que neste momento, devido à declaração do estado de emergência e confirmação de casos positivos da covid-19, tiveram que encerrar o jardim.

“Neste momento, a situação é complicada, porque ainda não sabemos qual será o desenrolar da situação que se tem agravado todos os dias. Com a declaração do estado de emergência, tivemos que mandar todos para a casa e estamos à espera da normalização da situação”, disse, indicando que “Nós Sperança” tem cerca de 60 crianças, dos 0 a cinco anos e cinco funcionários.

Segundo esta responsável, face à situação da covid-19, a sustentabilidade financeira tornou-se a principal preocupação para a gestão, isto porque, sustentou, é com o dinheiro referente às mensalidades que garantem o pagamento do salário dos funcionários e o arrendamento do espaço.

No entanto, tendo em conta o cenário actual e para evitar constrangimentos maiores, a gestão do “Nós Sperança”, em concertação com os pais e encarregados de educação, chegou a um acordo de que os mesmos iriam contribuir com pelo menos 50% das mensalidades para cobrir as despesas do mês em curso.

“Estamos inscritos no Rempe e nos disseram que o INPS irá assumir 70% e com 50% dos pais estaríamos numa situação menos preocupante, mas infelizmente nem todos, para não dizer a maioria deles, não têm contribuído com o acordado. Com isso, e a sobrevivência enquanto privado torna-se quase impossível”, declarou.

Relativamente à situação dos alunos finalistas, informou que criou um grupo nas redes sociais para partilha de informações com os pais e envio de trabalhos para serem feitos pelos alunos em casa e que estão a seguir todas as recomendações de ficar em casa.

Por seu turno, a responsável do jardim “Multipla Escolha”, Marly Santos, do bairro de Achada São Filipe, disse que estão à espera das directivas da Delegação da Educação sobre como irão funcionar, isto tendo em conta que as aulas à distância do ensino básico e secundário já iniciaram e não foram feitas quaisquer referências concernente ao pré-escolar.

“Como a maioria dos pais e encarregados de educação trabalham de empregada doméstica, neste momento, devido a declaração do estado de emergência, estão em casa e não estão a trabalhar. Por isso, o pagamento das mensalidades fica condicionado, porque muitos não têm condições e por enquanto não sabemos como vamos funcionar, porque ainda não nos disseram nada”, afirmou.

Por sua vez, a responsável do Jardim “Turminha da Winie”, Geraldina Ribeiro, mostrou-se muito preocupada com o futuro do espaço que dirige, devido a paandemia do novo coronavírus, sublinhando que neste momento enfrenta alguns constrangimentos. Financeiros.

“O nosso rendimento diminuiu nos últimos meses e em virtude disso ficamos com algumas pendências relativamente ao pagamento do salário dos funcionários e do arrendamento do espaço, que o dono inicialmente queria que entregássemos as chaves, devido ao estado de emergência e casos positivos da covid-19 e não pagamento da mensalidade”, afirmou.

Não estando inscrito no INPS e no Rempe, avançou, a situação fica mais complicada, uma vez que dependem do pagamento das mensalidades para garantir o sustento da família, estando, por outro lado, sem nenhuma perspectiva sobre o futuro da “Turminha da Winie”.

Cabo Verde contabilizou hoje mais seis casos positivos da covid-19, elevando para 67 o número de infectados, sendo 52 na ilha da Boa Vista, 13 na cidade da Praia, um no concelho do Tarrafal e um na ilha de São Vicente.

Dos casos confirmados, registou-se um óbito, um cidadão inglês de 62 anos, que se encontrava de férias na ilha da Boa Vista, e um doente recuperado.

O País está em estado de emergência desde o dia 29 de Março com fronteiras fechadas e mais de 70% pessoas em confinamento social.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 165 mil mortos e infectou quase 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 537 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China

CM/JMV
Inforpress/Fim.

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos