Coronavírus: PP saúda criação de espaço para isolamento no HAN mas diz que medida devia ser tomada há 15 dias (c/áudio)

Cidade da Praia, 11 Fev (Inforpress) – O Partido Popular congratulou-se hoje com a decisão do Governo em preparar espaço no Hospital Agostinho Neto para isolamento de pessoas que venham a ser infectadas por coronavírus, mas avisa que essa medida devia ser tomada há 15 dias.

“É bom que aconteça, isso demonstra que o Governo já alterou o seu comportamento, mas que fique clara que essa medida devia ser tomada há mais de 15 dias”, notou o presidente do PP, Amândio Vicente, em conferência de imprensa, na Cidade da Praia.

O líder dos populares classificou de “irresponsável”, a decisão de colocar em “quarentena domiciliar” as 28 pessoas que chegaram semana passada China, posicionando-se contra essa atitude, uma vez que está a colocar a população em risco.

Para o presidente do Partido Popular (sem assento parlamentar), a quarentena tem que ser feita num espaço controlado pelo Governo e pelas autoridades, alertando para os riscos que a população e mesmo as famílias estão a correr, quando estão em convivência com esses estudantes provenientes da China.

“A quarentena tem que ser feita num espaço controlado, se já tomaram essa decisão mais vale tarde do que nunca”, sublinhou Amândio Vicente.

O presidente do conselho de administração (PCA) do Hospital Agostinho Neto disse hoje à Inforpress que está a preparar um espaço no estabelecimento hospitalar para isolar pessoas que venham a apresentar quadros de infecção por coronavírus.

Esse espaço, segundo o responsável, segundo Júlio Andrade, a situar-se no antigo quarto particular do Hospital da Praia vai ainda ser apetrechado com 10 monitores e outros equipamentos encomendados, em carácter de urgência, para se poder instalar a estrutura com instrumentos adequados para dar vazão a surtos de género.

Os equipamentos adquiridos, informou o responsável, custaram à volta de três mil contos e foi autorizada a compra pelo Governo, em carácter urgente, sem ter que passar por concurso público, pois, a emergência assim o determina.

A epidemia provocada pelo coronavírus detetado em Wuhan causou já 1.018 mortos, dos quais 1.016 na China continental, onde se contabilizam mais de 42 mil infectados, segundo o balanço hoje divulgado.

Na segunda-feira, de acordo com os dados anunciados pela Comissão Nacional de Saúde da China, registaram-se no território continental chinês 108 mortes e foram detectados 2.478 novos casos de infecção, para um total de 42.638, em especial na província de Hubei (centro), onde perto de 60 milhões de pessoas permanecem em quarentena.

OM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos