Coordenadora das Nações Unidas destaca papel de todos na construção da paz num mundo “dividido e ameaçado”

Cidade da Praia, 24 Out (Inforpress) – A coordenadora residente das Nações Unidas em Cabo Verde destacou hoje o momento “difícil” que se vive num “mundo dividido” e apelou a todos a se verem como “Nações Unidas” na construção de pontes e diálogo para a paz.

Patrícia Portela de Souza, que falava à imprensa no âmbito do Dia das Nações Unidas, celebrado a 24 de Outubro, avançou ainda que a data em Cabo Verde é sempre celebrada junto das comunidades, sendo desta vez alvo a população do bairro de Ponta d’Água (cidade da Praia).

“Este ano a data vai dar um enfoque especial nos adolescentes e jovens, pois o desenvolvimento sustentável passa necessariamente pela participação, engajamento e trabalho junto destes que precisam do nosso apoio e que criemos mais oportunidades para o seu desenvolvimento integral”, disse.

Face a este foco, Patrícia Portela de Souza avançou a necessidade de se criar espaços para apoiar os adolescentes e jovens, maior aproximação das comunidades que precisam e pensar sempre que esta classe populacional tem uma visão do presente e aspirações para o futuro.

Por isso, afirmou que trabalhar as acções de desenvolvimento com eles e para eles é “muito mais forte” e poderoso para alcançar os resultados que se quer.

“Ninguém mais do que eles e elas para conhecer suas necessidades e aspirações. E Cabo Verde deve apoiar os mais de um terço de jovens, rapazes e raparigas, que vivem no País”, realçou, sublinhando que na actividade de hoje se vai falar dos direitos dos adolescentes e jovens, deitando-se um olhar especial, sobretudo, no direito à participação e ao movimento cívico.

Para reforçar a sua mensagem, explicou, que é preciso escutar “as vozes dos adolescentes” para que sejam influenciadores das acções 2030 do desenvolvimento sustentável voltadas para os adolescentes e jovens.

Questionada se Cabo Verde está a cumprir o assumido com as acções 2030 afirmou que, de uma maneira geral, houve avanços em áreas como educação, saúde e governação.

Apesar dos avanços, apontou ainda a existência de desafios, e indicou a eliminação da pobreza antes da agenda 2030 como o central.

“Estamos a trabalhar fortemente com o Governo, parceiros de desenvolvimento e da sociedade civil para que realmente possamos contar uma história bonita em 2023 ou 2030 de um país que conseguiu erradicar a pobreza extrema”, enfatizou, indicando ainda a economia azul e a digital como áreas a se desenvolver no País.

O ministro da Juventude e Desporto, Carlos Monteiro, que participou na actividade de comemoração do Dia das Nações Unidas, focou a sua mensagem na juventude, crianças e adolescente, referindo-se sobre o papel que estes têm no desempenho do processo de desenvolvimento do arquipélago, mas também na construção da paz.

“Todos sabemos o que se vive. O mundo está envolto a vários conflitos na África, Médio Oriente e Europa e a juventude deve perceber que tem um papel a desempenhar no presente e que o futuro depende da sua formação pessoal enquanto agente da construção da paz”, destacou, defendendo, por outro lado, que a construção de uma paz duradoura só é possível com o envolvimento das crianças e adolescentes de hoje.

Consta do programa da celebração das Nações Unidas em Cabo Verde a reabilitação do horto escolar e plantação na escola do EBO, feira das profissões e empreendedorismo, iniciativa WASH (água, saneamento e higiene) nas escolas, apresentação do programa STEM para meninas, diálogo entre jovens a representante da ONU em Cabo Verde.

O Dia das Nações Unidas, celebrado a 24 de Outubro, marca o 78º aniversário da entrada em vigor, em 1945, da Carta das Nações Unidas, sendo que com a ratificação deste documento, a ONU passou a existir oficialmente.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos