Conferência Internacional sobre o turismo e transportes é o reconhecimento do que o país tem feito nestes sectores – ministro (c/áudio)

Santa Maria, 27 Mar (Inforpress) – O ministro da Integração Regional disse hoje que a escolha de Cabo Verde para acolher a primeira Conferência sobre o Turismo e Transporte Aéreo em África é “sinal do reconhecimento” por tudo o que o país tem feito nesse domínio.

Júlio Herbert considera, por outro lado, que no quadro do continente africano o país tem dado uma “contribuição de qualidade” nos sectores do turismo e transportes que, segundo ele, representam um “seguimento importante” na dinamização da economia.

O governante fez essas considerações em declarações à imprensa à margem do acto de abertura da reunião preparatória da Conferência sobre o Turismo e Transporte Aéreo em África, que decorre a partir de hoje até sexta-feira, 29, na ilha do Sal, promovida pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) e Organização Mundial do Turismo (OMT).

Instado sobre como é que a abertura dos céus no continente africano poderá contribuir para aumentar a integração regional, afirmou que isto pode acontecer de “forma determinante”, uma vez que alguns entraves constituem uma “condicionante que não ajudam para a integração dos países”.

“Isto constitui mais um passo no sentido de aproximar os países em direcção a uma integração efectiva, em que os sectores do turismo e aviação civil contribuem para o desenvolvimento dos países”, precisou o ministro da Integração Regional, para quem isto contribuiu também para a conformação do próprio mercado único regional.

Sobre a conferência do Sal, Júlio Herbert espera que o evento contribua para que cada país se debruce sobretudo a nível dos seus respectivos governos sobre as modalidades “mais apropriadas” em ordem a se proporcionar um diálogo entre os sectores dos transportes e do turismo.

“Sem este diálogo será muito difícil a integração do mercado”, indicou, acrescentando que são duas áreas que representam uma “grande valia” para a integração do continente.

Júlio Herbert deseja que a conferência do Sal tenha “bons resultados e com impacto em todos os países representados”.

Acredita, entretanto, que este evento vai contribuir para projectar internacionalmente o país a nível de aviação civil.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos