Conferência internacional recomenda desenvolvimento de sistemas de formação mais adaptados à realidade actual

Cidade da Praia, 09 Mai (Inforpress) – A Conferência Internacional “Negócio como uma Vocação Nobre”, realizada quarta-feira, na Cidade da Praia, concluiu que é necessário desenvolver sistemas de formação mais adaptados à realidade actual e às novas competências que demandam o sector privado.

Estas são, entre outras, recomendações apresentadas pelo porta-voz, José Manuel Medina, no final do encontro, promovido pela Associação dos Gestores, Empresários e Profissionais Católicos (AGEPC-CV), em colaboração com a União Internacional Cristã de Gestores e Empresários Africanos (Uniapac- África).

A conferência concluiu ainda que é necessário promover a igualdade no acesso ao emprego, ou seja é preciso identificar medidas que permitam às mulheres incorporar-se e manter no emprego ao longo das suas visas, promover e divulgar mais informações sobre os direitos dos jovens, mas também sobre os seus deveres.

“Continuar a desenvolver sistemas de formação mais adaptados à realidade actual e às novas competências que demandam o sector privado, lançar programas específicos de empreendedorismo e de apoio aos jovens empreendedores a nível financeiro, mas também de formação, capacitação e acompanhamento”, defendeu.

José Manuel Medina adiantou que o encontro contou com a participação de jovens de diferentes países da África Ocidental, onde esteve sobre a mesa questões ligadas aos desafios do desemprego jovem, do desenvolvimento tecnológico e a influência que a mudança climática poderá ter na criação de novas oportunidades e na perda de emprego.

Por seu turno, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva que presidiu à cerimónia de encerramento, desafiou a classe política no sentido de ter um forte compromisso com as gerações futuras, sendo que é uma responsabilidade que diz respeito a todos os intervenientes quer a nível político, social e empresarial.

“Falta acrescentar algo aos recursos que é a nossa capacidade de transformá-los em rendimento, educação, saúde, ciência, tecnologia, inovação, isso cria sustentabilidade e resultados para as pessoas. E é essa transformação que é um grande desafio para os políticos e aqueles que lideram para que de facto possamos ter uma atitude favorável ao desenvolvimento, mas acima de tudo temos que acreditar nos nossos países, no empenho, liderança e cidadania activa para atingirmos essas mudanças”, sublinhou

Na ocasião considerou que é preciso valorizar cada vez mais os jovens empreendedores, aqueles que correm e assumem os riscos que fazem a inovação e deixam resultados, uma vez que essa atitude empreendedora é “fundamental” para o processo de desenvolvimento de qualquer país.

O encontro foi promovido pela Associação de Gestores, Empresários e Profissionais Católicos de Cabo Verde (AGEPC-CV), em parceria com a União Internacional Cristã de Gestores e Empresários Africanos (Uniapac – África), a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Governo de Cabo Verde.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos