Conferência do Sal recomenda liberalização dos serviços aéreos em África

Santa Maria, 29 Mar (Inforpress) – A Conferência Ministerial de Turismo e Transporte Aéreo recomendou hoje que sejam “liberalizados ainda mais” os serviços de transportes aéreos infra-africanos e intercontinentais, através da implementação da Decisão de Yamoussoukro e de Mercado Único de Transportes Aéreos em África.

Os ministros dos Transportes e Turismo de África, que se reuniram durante três dias na cidade turística de Santa Maria, ilha do Sal, recomendaram ainda no sentido de se incorporar as prioridades dos sectores de turismo e aviação no planeamento económico dos Estados para que estes dois sectores sejam um “impulsionador do desenvolvimento económico”.

Entenderam, por outro lado, que se deve estabelecer uma “boa governação” em que os transportes aéreos e o turismo sejam “concebidos, implementados e geridos”.

A construção de uma forte “Marca de África” em um mercado cada vez “mais competitivo”, assim como um “ambiente de negócios em constante mudança para liberar o potencial turístico natural e cultural e gerar demanda suficiente de tráfego aéreo”, são outras recomendações.

Os participantes da conferência do Sal apelaram também à exploração de “sistemas inovadores de financiamento para desenvolver infra-estruturas de aviação e turismo de qualidade”, assim como ao reforço da capacidade humana com competências técnicas adequadas nos sectores do turismo e da aviação.

Recomendaram, igualmente, no sentido de se acelerar a integração regional e facilitar a circulação de pessoas e mercadorias por via aérea no continente africano.

Relativamente à circulação livre de pessoas, apelou-se no sentido de adoptar as soluções de abertura de vistos como parte das reformas, através da estratégia do Programa de Identificação do Viajante da Organização de Aviação Civil Internacional (TRIP), assim como o máximo de uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) para melhorar os procedimentos de vistos.

A Declaração do Sal recomenda aos Estados africanos a tomarem “medidas pragmáticas” para a construção de um clima de “investimentos transparente, estável e previsível” para apoiar o desenvolvimento de infra-estrutura de qualidade ligada à aviação e ao turismo.

Os Estados africanos devem, por outro lado, incentivar o ambiente e apoio ao sector privado para a sua “efectiva participação” no desenvolvimento do turismo e da aviação em África.

Os ministros exortaram também à elaboração de uma estratégia de marketing para apoiar o desenvolvimento de produtos turísticos em conjunto com serviços de transportes aéreos, uma vez que a África pode “oferecer ao mundo, que o resto do mundo não possui”.

Esta primeira Conferência Ministerial de Turismo e Transporte Aéreo em África foi promovida pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) e Organização Mundial do Turismo (OMT).

LC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos