Comércio Externo regista crescimento de 17,4% nas exportações face ao terceiro trimestre de 2023

Cidade da Praia, 31 Out (Inforpress) – Os dados provisórios do comércio externo relativos ao terceiro trimestre de 2023 registaram um crescimento na ordem de 17,4% por cento (%), nas exportações, relativamente ao mesmo período de 2022, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo a nota de imprensa do INE enviada à Inforpress, as importações aumentaram 15,2% face ao terceiro trimestre de 2022, havendo um decréscimo das reexportações em -26,7% comparativamente ao mesmo período de 2022.

No período em análise, o deficit da balança comercial aumentou 15,1% e a taxa de cobertura cresceu 0,1 ponto percentual (p.p.).

Conforme os dados do INE, no terceiro trimestre de 2023, as exportações de Cabo Verde totalizaram 1.471 mil contos, correspondendo a um aumento de cerca de 217 mil contos (17,4%), face ao período homólogo.

A Europa, segundo a mesma fonte, continua sendo o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 95,5% do total das exportações cabo-verdianas, tendo a Espanha liderado o ranking dos principais clientes de Cabo Verde na zona económica europeia em que se insere, representando 60,0% do total das exportações, no mesmo período em análise.

Já a Itália ocupa o segundo lugar na estrutura das exportações, com um peso de 21,7%, e Portugal está em terceiro lugar, com 11,1%.

O INE refere ainda que os produtos mais exportados por Cabo Verde, no terceiro trimestre de 2023 foram os preparados e conservas de peixes, representando 78,8%, seguido dos vestuários que se posicionam em segundo lugar com 6,2% do total e os calçados na a terceira posição com 4,4%.

Relativamente à importação dos principais fornecedores e bens, os dados do INE indicam que o continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 59,1% do montante total, seguido da América 24,2%, Ásia/Oceânia 13,3%, do Resto do Mundo 1,7% e da África 1,6%.

O documento informa ainda que Portugal lidera entre os fornecedores de Cabo Verde, com 33,5% do total, 9,2 ponto percentual (p. p.) inferior em relação ao mesmo período do ano anterior, seguido dos Estados Unidos, Espanha, França, Brasil, Países Baixos e China, com respectivamente, 18,7%, 8,2%, 6,3%, 4,7%, 4,3% e 4,1% do total das importações.

Acrescentou que os dez principais produtos importados atingiram 60,5% do montante total das importações de Cabo Verde, contra os 55,8% alcançados por esses mesmos produtos no período homólogo, em que os produtos mais importados foram os aeronaves e aparelhos aéreos, com um peso de 17,6%, veículos automóveis, com um peso de 5,1% e reatores e caldeiras, com um peso de 5,1%.

No que tange às importações por grandes categorias de bens mostram que, no terceiro trimestre de 2023, os bens de consumo (6,0%) e os bens de capital (283,3%) evoluíram positivamente, quando comparado ao mesmo período de 2022, enquanto que os bens intermédios (-8,4%) e os combustíveis (- 29,4%) evoluíram negativamente em relação ao período homólogo.

Os bens de consumo, segundo a mesma fonte, continuam sendo a principal categoria económica de bens importados por Cabo Verde, com um peso de 39,0%, seguido dos bens de capital, com um peso de 25,2%, bens Intermédios, com um peso de 22,4%, e combustíveis, com um peso de 13,4% do total das importações, face ao mesmo período de 2022.

DG/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos