Clube de Mulheres Diversidade quer identificar oportunidades de negócios no país (c/áudio)

Cidade da Praia, 09 Abr (Inforpress)- O Clube de Mulheres Diversidade residentes em França, mas com origem em países como Cabo Verde, República Centro Africana, Martinica, Gabão e Inglaterra, está em Cabo Verde à para conhecer a realidade e identificar oportunidades de investimento.

A perspectiva deste grupo de mulheres empresárias foi apresentada hoje durante o encontro com a Rede de Mulheres Parlamentares Cabo-verdianas (RMP-CV), na Assembleia Nacional.

Segundo a empresária cabo-verdiana e líder do grupo, Dina Filomena Mendes, o objectivo de trazer esse grupo foi mostrar a realidade de Cabo Verde e identificar outras mulheres que trabalham a nível empresarial, a nível do turismo, do agronegócio e do associativo para futuros investimentos.

“Queremos ver as necessidades do país e trabalhar com um parceiro financeiro num projecto concreto para depois levantarmos o fundo e investir. Pode ser na área de negócios, saúde e social, principalmente para mulheres que têm um nível de vida difícil”, explicou Dina Mendes, para quem “muitas integrantes do grupo estão encantadas” com a forma de ser, de estar das mulheres cabo-verdianas que conseguem “fazer muito com pouco”.

Conforme a mesma fonte, a ideia do clube é usar o potencial dos seus membros, como mulheres de referência, para sensibilizar outras, valorizar as suas competências e promover o empoderamento feminino.

De acordo com a presidente da Rede de Mulheres Parlamentares Cabo-verdianas (RMP-CV), Lúcia Passos, a vinda desse clube a Cabo Verde significa que “há alguma confiança em relação ao país”.

Lúcia Passos também destacou o facto desse grupo ter como objectivo potencializar as suas experiências e capacidades a favor de outras mulheres desfavorecidas e que se encontram em situação de dificuldade.

Por isso, defendeu que Cabo Verde deve “tirar proveito dessa visita” , já que é o primeiro país que “servirá como ponto de partida” para que esse clube de mulheres empresárias possam expandir as suas experiências para outros países da Europa e também da África.

“Essas mulheres empresárias também têm a possibilidade de mobilizar financiamento para implementar projectos sociais, mas também projectos económicos. E a nível do grupo há associadas do clube que também têm interesse na questão da lei de Violência Baseada no Género(VBG)”, enalteceu Lúcia Passo.

Para além da Rede de Mulheres Parlamentares Cabo-verdianas, o Clube de Mulheres Diversidade encontrou-se com outras entidades locais e empresariais cabo-verdianas.


CD/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos