Cerca de 1500 habitações em reabilitação no âmbito do PRRA – ministra das Infraestruturas

Cidade da Praia, 28 Ago (Inforpress) – Cerca de 1500 casas de pessoas de baixa renda estão a ser reabilitadas em todo o país, no âmbito do Programa Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA), implementado pelo Governo em parceria com as câmaras municipais.

O programa, orçado em 11 milhões de contos, e cuja implementação arrancou em 2019, esteve em avaliação durante uma reunião entre o Governo e os representantes de todas das câmaras municipais, realizada hoje, na Cidade da Praia.

Segundo a ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, em todos os municípios o programa esta “correr bem”, existindo, entretanto, alguns atrasos num ou outro projecto.

“São atrasos que se justificam apenas pela complexidade do projecto. Do resto tudo que nós ouvimos foi bom e avaliamos positivamente todo o trabalho que está sendo desenvolvido no âmbito do PRRA”, disse apontando para casos requalificação das orlas marítimas do Paul e do Tarrafal de Monte Trigo, em Santo Antão, e Queimada Guincho, nos Mosteiros, como sendo os mais complexos.

No caso das orlas marítimas de Paul e Tarrafal de Monte Trigo os atrasos se devem à exposição da comunidade ao mar e em Queimada Guincho por ser uma zona coberta de lava e que implica um trabalho muito mais aprofundado e um estudo para que fique, de facto, um espaço bonito e integrado dentro da lava.

No que se refere à habitação social que é um dos maiores problemas dos municípios, frisou que o perfil habitacional, publicado recentemente, apontou para a existência em Cabo Verde de défice qualitativo e quantitativo e que com base nesse diagnóstico Governo entendeu por bem criar dentro do PRRA uma valência para apoiar as famílias mais necessitadas.

A meta é reabilitar seis mil casas até ao final da legislatura. Numa primeira fase, que esteve em avaliação hoje, cerca de 1500 habitações estão em execução, devendo ser entregues nos próximos tempos, conforme informações da ministra Eunice Silva.

O programa prevê, além da reabilitação das casas degradadas, a requalificação urbana, requalificação das orlas marítimas, dos centros históricos e a construção e reabilitação de estradas, também com obras em execução.

Dos 11 milhões de contos já foram utilizados 2,5 milhões de contos e a previsão e até ao final do ano executar quatro milhões.

As câmaras municipais só executam projectos cujo valor máximo é de até nove mil contos, dignamente na reabilitação das habitações e requalificação dos bairros.

MJB/CP
Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos