Centro de Competências de Cabo Verde está na fase de operacionalização e de instalação – presidente do CERMI

Cidade da Praia, 22 Mar (Inforpress) – O Centro de Competências de Cabo Verde (CdC-3C), criado pelo Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), está na fase de operacionalização e de instalação, disse hoje à Inforpress o presidente do conselho de administração do CERMI.

Luís Teixeira falava à imprensa, momentos depois de presidir a abertura do workshop sobre “Eficiência  energética e energias renováveis”, que decorreu na Cidade da Praia, no âmbito do projecto de apoio à parceria entre o CERMI e o Centro de Competências – Génie du Bâtiment (GTB), do Luxemburgo.

“É um projecto que começou há três anos e hoje estamos na fase de criação de serviços sendo que a mesmo está a ser implementado não na base de donativos, mas de trocas de experiências, de conhecimento e transferências de ‘know-how’ com o Centro de Competências de Luxemburgo, que é o nosso parceiro”, revelou.

O Centro de Competências de Cabo Verde foi criado para prestar serviços especializados na área da formação profissional, eficiência energética e energias renováveis e acreditação certificação e metrologia.

Segundo afirmou o presidente do CERMI a ideia é trazer esses produtos para o mercado de Cabo Verde, da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), mas serão adaptados à realidade cabo-verdiana.

“Começamos na segunda-feira com um workshop sobre engenharia da formação e tivemos as instituições que lidam com formação profissional, na quarta-feira foi feita sobre metrologia e certificação e, hoje, sobre eficiência energética e energias renováveis, ou seja, alinhar, apresentar os produtos e ver se estão adequados”, assegurou Luís Teixeira.

Por outro lado, avançou que o Centro de Competências de Cabo Verde poderá prestar serviços juntamente com outras instituições cabo-verdianas.

O centro é uma gestão privada onde o Estado tem 49 por cento (%) através do CERMI, que vai manter a sua actividade de domínio público, que “não são delegáveis”, segundo Luís Teixeira, mas outras acções serão transferidas para o Centro de Competências de Cabo Verde.

AV/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos