CEDEAO lança relatório para combater o uso de drogas ilícitas e o tráfico na região

Cidade da Praia, 14 Set (Inforpress) – A CEDEAO lançou hoje, de forma virtual, o Relatório da Rede de Epidemiologia da África Ocidental sobre o Uso de Drogas 2018-2019 (WENDU), visando combater o uso e o tráfico de drogas ilícitas na sub-região.

O relatório lançado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) tem como principal objectivo ajudar na programação, política e defesa de causa destinados a fazer face às consequências sociais, sanitárias e económicas do consumo de substâncias psicoactivas e do tráfico ilícito de droga na região.

O comissário para os Assuntos Sociais e Género da Comissão da CEDEAO, Siga Jagne, disse na abertura do encontro, que com o projecto WENDU, a África Ocidental pode estar satisfeita em ter uma fonte válida e confiável de dados relacionados com as drogas, para se poder tomar medidas antidrogas baseadas em dados e factos.

“O relatório destaca as últimas estimativas e tendências sobre o consumo de drogas e o fornecimento ilícito de drogas, bem como o tráfico de medicamentos abaixo do padrão, espúrios e falsificados na África Ocidental”, indicou que “o relatório WENDU ajudará muito na programação e identificação de padrões de uso de drogas e tendências emergentes”.

Por sua vez, o director geral do Grupo de Acção Intergovernamental contra a Lavagem de Dinheiro na África Ocidental (GIABA), Kimelabalou Aba, lembrou que o tráfico de drogas se tornou “uma grande preocupação na África Ocidental” e que esta situação tem “implicações consideráveis ​​para a lavagem de dinheiro e intensificação da criminalidade nessas diferentes facetas da região”.

Por sua vez, o director geral da Organização da Saúde da África Ocidental (OOAS), Stanley Okolo, sublinhou que os jovens estão usando cada vez mais drogas na sub-região da África Ocidental, sendo que as consequências desse uso podem ser explicadas pelo suicídio e pela violência na camada juvenil da região.

O relatório apresenta o número de apreensões e quantidades nos vários países membros da CEDEAO e na Mauritânia, bem como os tipos de drogas traficadas, sendo que o cannabis, opioides farmacêuticos, cocaína, heroína e metanfetamina foram as principais drogas apreendidas na África Ocidental durante o período de 2018-2019.

Durante esse período, um total de 1.082 toneladas de cannabis foi apreendido, 129 toneladas de opioides farmacêuticos. A cocaína apreendida na África Ocidental durante o período em análise, foi um total de 16,63 toneladas e Cabo Verde representou mais de 66 por cento (%) dessa apreensão.

Um total de 40.526 prisões foi feito devido a crimes relacionados com drogas entre 2018 e 2019, em comparação com 2016 e 2017 que foi um total de 29.484.

O encontro teve a participação de pontos focais nacionais da WENDU dos Estados-membros da CEDEAO e da Mauritânia, da Rede da Sociedade Civil da África Ocidental sobre o Abuso de Substâncias Psicoativas (WANCSA), da Rede Regional dos Profissionais da Comunicação Social sobre a Prevenção da Criminalidade e a Fiscalização de Estupefacientes, dos parceiros de desenvolvimento e de outras instituições da CEDEAO.

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos