Cabo Verde quer aprofundar relação de parceria com UE através da Macaronésia e Regiões Ultraperiféricas – Jorge Santos

Cidade da Praia, 09 Nov (Inforpress) – O ministro das Comunidades avançou esta quarta-feira, em Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias, Espanha), que Cabo Verde quer aprofundar a sua relação de parceria especial com União Europeia (EU) através da Macaronésia e suas Regiões Ultraperiféricas.

Jorge Santos fez esta manifestação quando discursava na abertura da XXVIII Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas (CPRUP), em representação do Governo cabo-verdiano, que decorre nos dias 08 e 09 do corrente mês, em Santa Cruz de Tenerife.

Este desejo de parceria entre a Macaronésia e suas Regiões Ultraperiféricas, segundo este governante, tem como objectivo reforçar a concertação e a convergência de políticas que favoreçam o desenvolvimento económico, social, tecnológico e a conectividade.

Durante o seu discurso destacou a importância estratégica das RUP e do programa de cooperação territorial Europeia “Interreg MAC 2021-2027”, no desenvolvimento dessas regiões entre si e com os países terceiros.

“Nós nos orgulhamos das excelentes relações que mantemos com a União Europeia, com seus Estados-membros e Regiões Ultraperiféricas, bem como nos orgulha ter a União Europeia como um parceiro estratégico que tem trabalhado, de forma inequívoca e abnegada, para o desenvolvimento de Cabo Verde e da nossa sub-região africana”, vincou, sublinhando que as ilhas atlânticas da Macaronésia são espaços que repartem afinidades históricas e geográficas marcadas pela insularidade.

Por outro lado, Jorge Santos destacou que, a nível da diplomacia, Cabo Verde vem realizando avanços importantes, designadamente, no quadro da parceria especial com a UE, incluindo melhorias no acordo de mobilidade, no que tange à simplificação das regras de vistos no espaço Schengen, bem como, a isenção de visto de curta duração para cidadãos europeus.

Ainda no seu discurso, lembrou a assinatura e ratificação do acordo de livre-comércio continental africano, o acordo do mercado único de transportes aéreos e as iniciativas de diplomacia económica, acordos para evitar a dupla tributação e evasão fiscal, bem como, acordos de promoção e protecção de investimentos.

Neste sentido, assegurou que constituem “desafios maiores” para Cabo Verde, a consolidação da sua posição como parceiro útil e relevante no Atlântico Médio, na promoção e manutenção da paz e segurança, na defesa da democracia e dos direitos humanos, dar centralidade à diáspora cabo-verdiana, promover a mobilização de recursos para o financiamento do desenvolvimento sustentável, consolidar a integração regional a nível da CEDEAO e a inserção dinâmica do país no sistema económico mundial.

O Governante terminou reiterando o compromisso e interesse de Cabo Verde em ser associado atento e comprometido com os trabalhos destas Conferências das RUP.

A participação de Cabo Verde nesta conferência enquadra-se nos objectivos perseguidos pelo Governo, no âmbito da “Parceria Especial entre Cabo Verde e a União Europeia” que visa a manutenção e o alargamento da cooperação em sectores prioritários já identificados como a boa governança, segurança e estabilidade, integração regional, convergência técnica e normativa, ciência e tecnologia, desenvolvimento e investimentos e luta contra a pobreza.

DG/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos