Cabo Verde acolhe em Novembro o 41º Fórum Mundial dos Parlamentares para a Acção Global (c/áudio)

Cidade da Praia, 25 Mar. (Inforpress) – Cabo Verde acolhe em Novembro deste ano o 41º Fórum Mundial dos Parlamentares para a Acção Global (PGA), reunindo deputados de todo o mundo para uma discussão de assuntos relacionados com a defesa da democracia e protecção dos oceanos.

A informação foi avançada hoje pelo secretário-geral desta que é considerada a maior rede internacional não-governamental e multipartidária, o deputado David Donat-Cattin, que se encontra na Cidade da Praia para formalizar o convite ao presidente da Assembleia Nacional de Cabo Verde e inteirar-se das condições logísticas para acolher o evento.

“O evento vai reunir deputados de todo o mundo. Uma parte do evento vai ser dedicada ao tema relacionado com a protecção dos direitos humanos, democracia e Estado de direito e um dia será dedicado à protecção dos oceanos e luta contra a pesca ilegal que afecta muito os interesses dos países pequenos e ilhas como Cabo Verde”, disse.

Depois de reunir-se esta manhã com o chefe da casa parlamentar, Jorge Santos, e visitar as instalações da Assembleia Nacional, David Donat-Cattin disse que as condições logísticas são boas.

“Esta Assembleia é moderna, tem muitas capacidades, as logísticas estão em linha com o standard internacional e pensamos que não há problemas a nível organizativo”, disse, indicando que a delegação vai encontrar-se ainda com a União Europeia, o PNUD, o Governo e outros actores sociais no sentido de os envolver também na organização dessa grande conferência”, disse.

De acordo com o secretário-geral do grupo dos PGA, a escolha de Cabo Verde para acolher esse evento deve-se ao facto de este ser um país “efectivamente democrático” e também devido à sua localização geo-estratégica.

“Todos os poderes são separados, há uma constituição, há uma alternância entre a maioria e a oposição. É um país que em África é um modelo. Também é um país de encontro entre África, América e América Latina, Europa e por isso um destino ideal”, sustentou.

O encontro está marcado para os dias 21 e 22 de Novembro, período durante o qual será divulgado o prémio defensor da democracia dos PGA que tem como objectivo o reconhecimento de duas personalidades/lideranças que no mundo promovem os direitos humanos e a democracia.

Um comité organizador vai ser criado para a organização local do evento e propor uma das personalidades a ser reconhecida.

Cabo Verde integra a rede dos PGA com 23 deputados e o deputado do PAICV José Sanches faz parte do comité organizador do fórum.

O parlamentar cabo-verdiano congratula-se com a escolha do país e com os temas que vão estar em debate, sobretudo no momento, em que, segundo indicou, há uma dinâmica a nível mundial que pode prejudicar a democracia como a questão do populismo exacerbado que tem tomado conta de alguma democracia.

Ademais acrescentou que enquanto um país arquipelágico preocupa as questões como a pesca ilegal, águas territoriais e do ambiente.

“Espero que saiam algumas orientações e decisões a nível mundial para que os parlamentares possam tomar essas e outras questões como sendo bandeiras nas suas lutas. Os parlamentares não só têm as questões políticas na sua agenda como também as questões sociais e ambientais, paz e segurança, que extravasam a fronteira e penso que desse fórum poderemos sair com uma consciência muito clara em relação a estas matérias”, augurou.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos