ENTREVISTA/Cabnave 40 anos: Recorremos a um empréstimo de 100 mil contos para modernizar e garantir a sustentabilidade – PCA (c/vídeo)

Mindelo, 22 Nov (Inforpress) – O presidente do conselho de administração (PCA) da Cabnave disse hoje que a empresa recorreu a um empréstimo de 100 mil contos para preparar a modernização das infraestruturas para ter as melhores condições de rentabilidade.

Segundo Ivan Bettencourt, que falava em entrevista à Inforpress, a propósito dos 40 anos dos estaleiros navais, Cabnave, que se celebra hoje 22 de Novembro, a nova direcção mudou os paradigmas e focou na sustentabilidade e investimentos que se traduzem na modernização.

E é com base nessa modernização, ajuntou, que contraíram o empréstimo em dois bancos comerciais e já começaram a substituição da grande parte das máquinas lá existentes que já estão com cerca de quatro décadas.

“Os investimentos já começaram. Fomos à banca neste momento para comprar equipamentos para melhorar o nosso sistema de equipamentos, melhorar o nosso sistema de entrada dos navios para aumentar a capacidade de podermos ter mais navios nas nossas seis linhas. Paulatinamente, já começamos a substituição e modernização dos equipamentos tornando a Cabnave mais rentável e sustentável, de acordo com o que se tem no mundo hoje”, explicou.

Para o PCA a perspectiva é ser melhor não apenas na sub-região africana, mas, sim, uma referência no mundo para que qualquer estaleiro que tenha um cliente que esteja a passar pelas águas de Cabo Verde possa também contactar a Cabnave para prestar esse serviço de reparação, em parceria com esse estaleiro”, explicou.

No quadro dessa modernização, avançou, a Cabnave está vai contratualizar a modernização de todas as máquinas de sistemas de soldagens, vai partir para um novo tipo de decapagem mais amiga do ambiente e está a negociar a sustentabilidade energética partindo para as energias limpas, já que a energia é um custo que pesa muito no orçamento da empresa.

Conforme lembrou, Ivan Bettencourt, o primeiro-ministro já assinou um pré-acordo para os investimentos que estão dentro de um pacote global através do qual, numa primeira fase, a Cabnave pode ter um investimento no mínimo de 12 milhões de euros (1,3 milhões de contos).

Por isso, elucidou, mesmo antes do investimento que o Governo vai iniciar, através do Banco Europeu de Investimentos, há necessidade de infraestruturar a Cabnave para receber esses investimentos de uma forma mais linear e mais sustentável.

A Cabnave  foi inaugurada em 22 de Novembro de 1983 e, nessa altura, também tinha vocação para a construção naval.

Na altura quando foi construída tinha falta de mão-de-obra, por isso desde os primeiros momentos até hoje a Cabnave tem um centro de formação que, segundo Ivan Bettencourt, em 40 anos já formou mais de 500 jovens internamente, muitos deles ainda são funcionários da empresa.

Nessas quatro décadas também fez três embarcações de pesca metálicas de dimensões de 30 metros e garantiu a sustentabilidade e a segurança da navegabilidade de todos os barcos que passam nas águas de Cabo Verde, principalmente dos que fazem as ligações internas, e os que ligam as ilhas ao mundo.

 

CD/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos